Muitas empresas estão enfrentando dificuldades e fechando as portas. Milhões de americanos estão sem trabalho. Mas o mercado de IPO (Ofertas Públicas Iniciais) nos EUA está super aquecido e 2020 pode ser o maior ano de sua história.

Segundo o Valor Econômico, com três meses restantes para o fim do ano, as ofertas públicas iniciais nos EUA levantaram quase US$ 95 bilhões, de acordo com a provedora de dados Dealogic. Isso já ultrapassa o total de todos os anos – exceto 2014 – desde a bolha de tecnologia em 2000.

Ainda assim, está chegando bem perto de 2014, quando os IPOs levantaram US$ 96 bilhões, sendo que mais de um quarto desse volume veio da gigante chinesa Alibaba Group.

Bolsa: investimentos em fundos internacionais renderam até 75% desde o início do ano

Ritmo

Banqueiros, advogados e executivos dizem que, se o ritmo frenético continuar, 2020 eclipsará os anos de boom tecnológico de 1999 e 2000, quando os investidores injetaram dinheiro febrilmente em ações da internet, que estava em franca em expansão.

Os investidores estão devorando essas novas listagens, com os IPOs deste ano apresentando os maiores ganhos no dia de suas estreias desde 2000. A alta média no primeiro pregão foi de 22%, enquanto essas novatas na bolsa acumulam ganhos médios de cerca de 24% de seus preços originais até hoje.

A sorte do mercado de IPO nunca foi tão divergente com o estado da economia dos EUA. A pandemia do coronavírus colocou as empresas em queda livre, levando o desemprego ao seu nível mais alto em anos. Mas também causou uma mudança na economia.

IPO

Com todos confiando cada vez mais na tecnologia para as comunicações no trabalho, na escola e no dia a dia, o valor das empresas que fornecem serviços relacionados aumentou. E com as baixas taxas de juros limitando os retornos de investimentos tradicionalmente seguros, como a renda fixa, os investidores estão procurando maneiras de ganhar dinheiro.

Este ano, mais de 80% do dinheiro arrecadado por ofertas públicas iniciais cai em três categorias: saúde, tecnologia e as chamadas empresas “cheque em branco”- holdings cujo único propósito é adquirir uma empresa privada e levá-la para a bolsa. Essa é a maior concentração do mercado de IPO desde 2007.

Mais de 235 empresas ingressaram nas bolsas dos EUA este ano, abaixo apenas do recorde de 439 empresas que abriram o capital em 2000, de acordo com a Dealogic. Em breve, elas serão acompanhados pelas gigantes Airbnb e Palantir Technologies, que abrirão o capital ainda este ano, após longos anos como empresas privadas.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: