Petrobras (PETR4) pode se desfazer de parte da BR Distribuidora, querem executivos

Os gestores pretendem consolidar a privatização da distribuidora

A Petrobras (PETR4) pode se desfazer de parte da BR Distribuidora (BRDT3). Ao menos esta é a vontade do atual CEO da petroleira, Joaquim Silva e Luna, bem como do também atual presidente da companhia de distribuição, Wilson Ferreira Junior.

Eles vão se encontrar para tratar do assunto e a BR passará por uma transição, migrando do atual modelo de negócio para uma economia de baixa emissão de carbono. Trata-se da maior distribuidora de combustíveis do país, com uma rede de mais de 8 mil postos de combustível e um público de interesse que reúne oito mil revendedores, sete mil grandes clientes e um total de 30 milhões de CPFs (consumidores).

Outro ponto a cargo de Ferreira Jr é a consolidação da privatização da distribuidora, cujo trâmite iniciou em 2019 após a Petrobras vender 30% do capital da BR. Atualmente, a estatal ainda detém 37,5% do capital da distribuidora, fatia que a valor de mercado equivale a cerca de R$ 10 bilhões.

De acordo com o Valor Econômico, Ferreira Jr pretende anunciar um “pacote de medidas” em 11 de maio, quando divulgar o balanço contábil da companhia. O executivo quer transformar a empresa em referência em termos de práticas de ESG (agenda ambiental, social e de governança corporativa).

http://www.b3.com.br/pt_br/busca/?query=petr4

Petrobras

O Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa originária de São Paulo, abriu um túnel que estava em fase de construção para desviar e roubar combustíveis da Petrobras. Eles pretendiam alterar um duto que se encontra em São Bernardo do Campo (SP).

A iniciativa foi interceptada pela Polícia Civil e oito pessoas acabaram presas, sendo seis que faziam a escavação, e dois funcionários do posto.

Para efetivar a operação, a facção chegou a comprar um posto de combustíveis e a estrutura ligaria o terminal a uma tubulação da estatal localizada atrás do comércio. O túnel já estava com 12 metros de extensão e faltavam mais 5 para a ligação ser concluída.

O plano era levar o combustível por meio de um sistema de sucção elétrico e mangueiras direto para os tanques do posto.

O material seria “batizado”, ou seja, misturado com outros produtos químicos para aumentar a quantidade disponível.

Veja PETR4 na Bolsa:

Petrobras (PETR4): justiça extingue ação de hipoteca judiciária da Previ

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais