Atividade das microempresas e dos autônomos em março é a pior para o mês desde 2015

A atividade econômica das microempresas e dos trabalhadores autônomos atingiu, em março desse ano, o pior resultado para o mês desde 2015. É o que aponta o Índice SumUp do Microempreendedor (ISM), desenvolvido pela SumUp, fintech de soluções financeiras diversificadas para microempreendedores e profissionais autônomos.

Em março deste ano, o ISM foi de 81,01 pontos. O resultado representa uma queda de 10,05% em comparação ao aferido no mesmo mês do ano passado, quando chegou a 90,07 pontos. O resultado é o pior para o mês desde 2015.

Microempresas

O ISM foi criado para medir a atividade econômica com base em dados de negócios de empreendedores informais, além de micro e pequenas empresas em todos os estados brasileiros e em mais de 30 ramos de atividades distintos. “Podemos atribuir o resultado de março de 2021, em grande parte, às incertezas econômicas com a piora da pandemia no País e ao aumento no número de infectados, que exigiu a intensificação das medidas restritivas, principalmente, neste começo de ano”, explica Carlos Grieco, head de pagamentos da SumUp.

Renan Pieri, professor da Fundação Getúlio Vargas e responsável por elaborar o índice, reforça a argumentação. “Boa parte dos pequenos empresários do varejo foi afetada pelas medidas que restringiram a circulação de pessoas nas cidades brasileiras e, consequentemente, as vendas caíram”, diz.

  • Só clique aqui se já for investidor

SumUp

A divulgação do Índice SumUp do Microempreendedor (ISM) é uma contribuição da SumUp para o País com o intuito de ampliar o acesso às informações sobre a economia brasileira. O ISM é calculado a partir de um método estatístico robusto, mas simples, que permite explicar o desempenho do setor microvarejista com base nas vendas processadas pelas maquininhas da SumUp.

A metodologia de criação do ISM consiste na seleção de benchmarks, escolha de um indicador de referência para ajuste estatístico do modelo, ponderação e colapso de dados e estimativa econométrica. O gráfico resultante permite entender o comportamento do mercado para microempreendedores no Brasil nos últimos anos e cada valor representa a variação percentual do ISM em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Fintech

A SumUp é uma fintech que oferece soluções financeiras, especialmente máquinas de cartão, para micro e pequenos negócios. Atualmente possui mais de 2.000 funcionários, 14 escritórios ao redor do mundo e conta com operações em 33 países. Nascida na Europa, em 2012, a fintech foi reconhecida pela revista americana Inc. como a empresa europeia com crescimento mais rápido no segmento – 14.368% entre 2013 e 2016.

No Brasil, a SumUp está presente desde 2013 com escritórios nas cidades de São Paulo e São José dos Campos, empregando 900 pessoas, sendo 60% mulheres e 24% LGBTQIA+. Foi reconhecida em 2018 como uma empresa Great Place to Work no país. Em abril de 2016, a SumUp uniu forças com a Payleven e aumentou ainda mais sua presença de marca, principalmente no Brasil.

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais