A mineradora Rio Tinto disse nesta quinta-feira (15) que novos “lockdowns” causados por uma segunda onda de casos de coronavírus ameaçam a recuperação econômica global, e reportou uma queda de 4,6% em seus embarques de minério de ferro no terceiro trimestre, em função de manutenções planejadas em Pilbara, na Austrália Ocidental.

Com partes da Europa enfrentando novas restrições e a iminência de que o número de infecções aumente no período de inverno (no Hemisfério Norte), as perspectivas de uma recuperação global sustentada estão diminuindo.

“Dados sugerem que a taxa de recuperação do crescimento está desacelerando na maioria das economias, com a demanda reprimida se dissipando e o aumento de novos lockdowns ameaçando a retomada”, disse a empresa em comunicado.

Rio Tinto alerta que novos "lockdowns" devem afetar recuperação global

Maior produtora

A maior produtora de minério de ferro do mundo afirmou que os trabalhos de manutenção vão continuar no quarto trimestre, mas manteve sua previsão para os embarques do ano completo em um intervalo de 324 milhões a 334 milhões de toneladas.

O minério de ferro responde por mais de 80% dos lucros básicos da companhia.

A Rio Tinto

A Rio Tinto embarcou 82,1 milhões de toneladas da commodity no trimestre encerrado em setembro, ante 86,1 milhões de toneladas em igual período do ano passado.

Apesar da queda na comparação anual, o resultado ficou acima das expectativas do UBS, que projetava os embarques em 81,9 milhões de toneladas.

Parceria com AB Inbev

A Anheuser-Busch InBev, maior cervejaria do mundo, fez uma parceria com um dos maiores produtores de alumínio para comercializar parte de sua cerveja em latas de baixo carbono.

Cerca de 70% do alumínio usado nas latas da AB InBev (ABEV3) na América do Norte é reciclado, e a cervejaria reduzirá ainda mais as emissões combinando o material com o novo alumínio de “baixo carbono” que a Rio Tinto produz em fundições no Canadá movidas por usinas hidrelétricas.

O primeiro milhão de latas produzidas com a parceria serão usadas para marca Michelob Ultra, dos Estados Unidos, informaram as empresas em comunicado.

“Poderemos garantir aos clientes a procedência do produto, bem como dar transparência em termos de medidas de sustentabilidade”, disse Alf Barrios, diretor-presidente da Rio Tinto Aluminium, em entrevista por telefone. “É por isso que trabalharemos com a AB InBev na rotulagem, fornecendo informações aos consumidores finais.”

A parceria surge em meio à crescente escassez de latas de alumínio. As paralisações da Covid fecharam restaurantes e bares, que dependem muito das vendas de cerveja em barris, o que levou consumidores a estocarem embalagens de 12 unidades.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: