Petrobras (PETR4): grupos Cosan e Ultra vão disputar as refinarias da petroleira no Sul

Os grupos Raízen, da Cosan (VSAN3) e Ultra (UGPA3), dono dos postos Ipiranga, estão em uma disputa acirrada pelas refinarias colocadas à venda no Sul do país pela Petrobras (PETR4).

De acordo com o Valor Econômico, a petroleira brasileira deverá receber as propostas vinculantes pelas as unidades Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, e Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul, no dia 10 de dezembro. A Repar é considerada a joia da coroa pelas duas rivais.

Petrobras

PETR4: localização estratégica

Conforme o jornal, com localização geográfica mais estratégica, a Repar está próxima a São Paulo, maior mercado consumidor de combustíveis do país, e do Porto de Paranaguá (PR), o que torna a unidade mais concorrida pelas rivais.

Entretanto, diz o periódico, embora seja menos competitiva que a refinaria do Paraná, a Refap está baseada em um mercado importante para as duas donas de distribuidoras de combustíveis.

Sinopec

Já a chinesa Sinopec e a indiana Essar também avaliam fazer ofertas pelas duas unidades. O valor da proposta pela Refap e Repar pode ficar em cerca de US$ 2 bilhões e US$ 3 bilhões, respectivamente.

A Raízen tem feito esforços nos últimos meses para ficar com a Repar, assim como o Ultra. Mas, de acordo com pessoas a par do assunto, o Ultra também deve apresentar proposta pela Refap.

Processo mais disputado

Para tornar o processo de venda das duas refinarias do Sul mais disputado, a estatal decidiu concentrar o recebimento de propostas pelas duas unidades no mesmo dia, de acordo com uma pessoa próxima à petrolífera.

A Petrobras escolherá a melhor oferta para cada unidade e dará início às discussões de contratos, antes de concluir o processo de venda. Pelas regras de alienação, um mesmo grupo econômico não pode ficar com duas unidades de refino na mesma região para não criar micromonopólio. A aposta é de que cada rival fique com uma refinaria no Sul.

Veja PETR4 na Bolsa:

Petrobras (PETR4): justiça extingue ação de hipoteca judiciária da Previ

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais