O conselho de administração da produtora de software Linx (LINX3) aprovou nesta sexta-feira (2) protocolo para ser incorporada pela companhia de meios de pagamentos Stone.

O e marcou para 17 de novembro assembleia de acionistas para aprovação do negócio anunciado em agosto.

Linx

Colegiado

O colegiado da empresa voltada à produção de software para o varejo também aprovou manifestações favoráveis a dispensas de realização de OPA e para que a Stone tenha que listar suas ações no Novo Mercado, caso o acordo com a Linx seja bem-sucedido.

Além disso, o conselho de administração também aprovou que vai se posicionar favoravelmente a que a companhia continue tratativas com a rival Totvs (TOTS3) caso a assembleia de acionistas rejeite o acordo com a Stone em novembro.

Setembro

Em setembro, a Linx afirmou que conselheiros independentes decidiram não assinar protocolo de incorporação apresentado pela Totvs.

Na ocasião, a Totvs afirmou que os conselheiros da Linx têm demonstrado somente disposição para retardar, ou mesmo impedir, a apreciação da proposta da Totvs pela assembleia de acionistas da Linx, como forma de forçar esses acionistas a deliberar sobre uma única proposta, a da Stone.

LINX3: a proposta

A proposta da Totvs pela Linx, de cerca de R$ 6 bilhões e válida até 13 de outubro, foi feita após a Linx anunciar acordo vinculante com a Stone, que sofreu alterações após a apresentação da oferta concorrente pela Totvs.

A Stone anunciou sua proposta em dinheiro e ações pela Linx em agosto, avaliando a produtora de programas para varejo em R$ 6,4 bilhões.

A disputa pela empresa ocorre em meio a uma revolução em andamento no mercado brasileiro de pagamentos liderado pelo Banco Central e impulsionado pelos impactos da pandemia de coronavírus, que tem migrado vendas do varejo físico para o online.

Veja LINX3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: