A administradora de shopping centers Iguatemi (IGTA3) teve lucro líquido de R$ 61,6 milhões no terceiro trimestre, queda de 29,2% sobre o mesmo período do ano passado, com forte queda nas vendas na mesma comparação.

A companhia afirmou que a inadimplência líquida dos lojistas foi de 13,4% no trimestre, um crescimento de 13 pontos percentuais sobre o mesmo período do ano passado. Mas afirmou em balanço divulgado nesta quinta-feira que “esse indicador vem se mantendo estável mesmo com a retomada nas cobranças de aluguel”.

Iguatemi (IGTA3) tem queda de 23% no lucro do 2TRI20

As vendas

As vendas mesmas lojas recuaram 37,5% e os aluguéis mesmas lojas caíram 28,5%. As vendas totais somaram R$ 1,8 bilhão no trimestre, queda de 45,2% sobre um ano antes.

Segundo a empresa, atualmente todos os 16 shopping centers operados pela Iguatemi estão com operação ativa, sendo que 11 deles estão funcionando em regime de 12 horas, 1 durante 11 horas, 2 durante 10 horas e 2 por 8 horas.

Setembro

A Iguatemi terminou setembro com uma relação dívida líquida sobre Ebitda de 3,11 vezes ante 2,03 vezes no fim de 2019. A dívida total era de R$ 2,88 bilhões e as disponibilidades somavam R$ 1,17 bilhão.

As ações da Iguatemi fecharam em alta de 4,9%, a R$ 32,33, nesta quinta-feira. Em 2020, acumulam queda de 38,3%.

Banco Inter

O Banco Inter iniciou a cobertura do setor de shoppings centers na quarta-feira (21). Entre as principais companhias de capital aberto do setor, as recomendações de compra são para Iguatemi (IGTA3)+4,90% e Aliansce Sonae (ALSO3), com preço-alvo de R$ 45 e R$ 41 respectivamente.

No caso do shopping Iguatemi, a projeção de preço representa uma valorização de 33% em relação à cotação de R$ 33,81, até às 16h43 desta quinta-feira (22). “Com uma distribuição geográfica mais homogênea em relação aos seus pares, enxergamos a Iguatemi com maior exposição aos hábitos de consumo de seu público alvo, assim como às presentes mudanças de mobilidade urbana nos grandes centros.”, diz o Inter, em relatório.

Para o Aliansce Sonae, a valorização é ainda mais expressiva, de 56%, se considerada a atual cotação de R$ 26,13. A instituição financeira espera um aumento de vendas totais nos shoppings da companhia, o que deverá ser acompanhado pela alta nas receitas de locação.

Veja IGTA3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: