A agência de risco de crédito Fitch Ratings emitiu uma revisão da classificação do Banco Rendimento S.A. para operações nacionais.

Com a nova avaliação, o Fitch apontou para uma “Perspectiva Estável”, com a manutenção dos ratings “A” para Longo Prazo e “F1” no Rating Nacional de Curto Prazo do banco, ambos alcançados no final de 2019, o que é significativo em um ano conturbado na economia com a crise pandêmica do COVID-19.

Fitch Ratings melhora a avaliação do Banco Rendimento, mesmo diante da pandemia

Relatório Fitch

Na avaliação do relatório da Fitch: “os impactos negativos esperados da pandemia do coronavírus no modelo de negócios e no perfil financeiro do Rendimento foram e devem continuar sendo limitados no horizonte do próximo ciclo do rating.

O modelo de negócios do banco é focado em receitas de serviço, principalmente no câmbio, e em atividades de ‘Bank as a Service’(BaaS), que se mostraram bastante resilientes, mesmo durante a crise.

Rentabilidade

O banco apresentou apenas redução modesta dos índices de rentabilidade, que ainda são proporcionais à sua categoria de rating, mesmo após a redução de sua carteira de crédito e os reforços nas provisões”.

“Essa avaliação corrobora o acerto do nosso modelo de negócios e a estratégia operacional que trabalhamos durante a pandemia. Bem como reafirma o acerto em nossos investimentos em tecnologia que sustentaram o trabalho remoto e a excelência no relacionamento e atendimento com nossos clientes”, argumenta Abramo Douek, CEO do Grupo Rendimento.

Banco

O Fitch enfatizou e reafirmou que o Banco se mostrou resiliente em seu modelo de negócios e “manteve a sua elevada rentabilidade, normalmente acima da de seus pares.

Ambos os fatores possuem alta influência nos ratings do banco. As classificações também contemplam, com influência moderada, a adequada qualidade dos ativos, a capitalização e a sólida liquidez do Rendimento.

Riscos

Incorporam, ainda, o moderado apetite por risco e riscos operacionais e reputacionais – inerentes ao mercado de câmbio, o maior gerador de receitas para o banco. O Rendimento mantém boa qualidade de gestão e tem sido diligente nos objetivos e na execução de suas estratégias”.

Com uma menção especial a estratégia de BaaS (Bank-as-a-Service) desenvolvida de forma acelerada em 2019-2020, na qual “presta e oferece todos os serviços financeiros para pequenas e médias empresas (PMEs) e tem mantido sua estratégia de melhorar a diversificação entre seus três principais negócios”.

Receitas

As receitas, extremamente equilibradas e diversificadas, também se destacam na avaliação, com a divisão entre prestação de serviços de câmbio, carteira de crédito e atividades de BaaS, o que para o Fitch: “melhorou nos dois últimos anos”. E segue: “O Rendimento continua apresentando indicadores de rentabilidade adequados: no período acumulado até setembro de 2020, o índice resultado operacional/ativos ponderados pelo risco ficou em cerca de 4,0%, frente a 4,7% em dezembro de 2019.”

Ao analisar a capitalização do Banco, a Fitch ressaltou: “também em setembro de 2020, o Rendimento registrou índices de capitalização adequados, e seu capital foi integralmente composto por Nível 1. O indicador Capital Principal Nível 1 tem permanecido próximo ao índice regulatório (14,2% em setembro de 2020), devido ao baixo volume de intangíveis e à ausência de instrumentos híbridos”.

“Estamos preparados tanto para o atual momento da pandemia como para a retomada da economia prevista para 2021 a partir de nossas bases sólidas e da continuidade do investimento em tecnologia, o que nos permitiu, por exemplo, ser um importante prestador de serviços do PIX para nossos clientes”, projeta Abramo.

Os dados do Fitch Ratings foram publicados com o atendimento ao artigo 16 da Instrução CVM nº 521/12 e as informações utilizadas na análise são provenientes do Banco Rendimento S.A. para conhecer a íntegra do relatório acesse aqui.

O banco

O Banco Rendimento, com mais de 28 anos de experiência, concentra seus esforços nas áreas de câmbio, crédito, investimentos e soluções de pagamentos.

Na área de câmbio, a instituição financeira é uma das maiores fornecedoras de papel moeda para o mercado brasileiro, importando e exportando uma grande variedade de moedas, entre elas, libra esterlina, dólar e euro. Além de oferecer aos seus clientes, assessoria completa em câmbio para serviços de transferências internacionais.

Na área de crédito, o banco atua no segmento de Middle Market, que compreende empresas com faturamento anual entre 20 e 500 milhões de reais e oferece soluções seguras, tanto para aplicações financeiras como para empréstimos de curto ou longo prazos.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: