Fitch Ratings melhora a avaliação do Banco Rendimento, mesmo diante da pandemia

A agência de risco de crédito Fitch Ratings emitiu uma revisão da classificação do Banco Rendimento S.A. para operações nacionais.

Com a nova avaliação, o Fitch apontou para uma “Perspectiva Estável”, com a manutenção dos ratings “A” para Longo Prazo e “F1” no Rating Nacional de Curto Prazo do banco, ambos alcançados no final de 2019, o que é significativo em um ano conturbado na economia com a crise pandêmica do COVID-19.

Fitch Ratings melhora a avaliação do Banco Rendimento, mesmo diante da pandemia

Relatório Fitch

Na avaliação do relatório da Fitch: “os impactos negativos esperados da pandemia do coronavírus no modelo de negócios e no perfil financeiro do Rendimento foram e devem continuar sendo limitados no horizonte do próximo ciclo do rating.

O modelo de negócios do banco é focado em receitas de serviço, principalmente no câmbio, e em atividades de ‘Bank as a Service’(BaaS), que se mostraram bastante resilientes, mesmo durante a crise.

Rentabilidade

O banco apresentou apenas redução modesta dos índices de rentabilidade, que ainda são proporcionais à sua categoria de rating, mesmo após a redução de sua carteira de crédito e os reforços nas provisões”.

“Essa avaliação corrobora o acerto do nosso modelo de negócios e a estratégia operacional que trabalhamos durante a pandemia. Bem como reafirma o acerto em nossos investimentos em tecnologia que sustentaram o trabalho remoto e a excelência no relacionamento e atendimento com nossos clientes”, argumenta Abramo Douek, CEO do Grupo Rendimento.

Banco

O Fitch enfatizou e reafirmou que o Banco se mostrou resiliente em seu modelo de negócios e “manteve a sua elevada rentabilidade, normalmente acima da de seus pares.

Ambos os fatores possuem alta influência nos ratings do banco. As classificações também contemplam, com influência moderada, a adequada qualidade dos ativos, a capitalização e a sólida liquidez do Rendimento.

Riscos

Incorporam, ainda, o moderado apetite por risco e riscos operacionais e reputacionais – inerentes ao mercado de câmbio, o maior gerador de receitas para o banco. O Rendimento mantém boa qualidade de gestão e tem sido diligente nos objetivos e na execução de suas estratégias”.

Com uma menção especial a estratégia de BaaS (Bank-as-a-Service) desenvolvida de forma acelerada em 2019-2020, na qual “presta e oferece todos os serviços financeiros para pequenas e médias empresas (PMEs) e tem mantido sua estratégia de melhorar a diversificação entre seus três principais negócios”.

Receitas

As receitas, extremamente equilibradas e diversificadas, também se destacam na avaliação, com a divisão entre prestação de serviços de câmbio, carteira de crédito e atividades de BaaS, o que para o Fitch: “melhorou nos dois últimos anos”. E segue: “O Rendimento continua apresentando indicadores de rentabilidade adequados: no período acumulado até setembro de 2020, o índice resultado operacional/ativos ponderados pelo risco ficou em cerca de 4,0%, frente a 4,7% em dezembro de 2019.”

Ao analisar a capitalização do Banco, a Fitch ressaltou: “também em setembro de 2020, o Rendimento registrou índices de capitalização adequados, e seu capital foi integralmente composto por Nível 1. O indicador Capital Principal Nível 1 tem permanecido próximo ao índice regulatório (14,2% em setembro de 2020), devido ao baixo volume de intangíveis e à ausência de instrumentos híbridos”.

“Estamos preparados tanto para o atual momento da pandemia como para a retomada da economia prevista para 2021 a partir de nossas bases sólidas e da continuidade do investimento em tecnologia, o que nos permitiu, por exemplo, ser um importante prestador de serviços do PIX para nossos clientes”, projeta Abramo.

Os dados do Fitch Ratings foram publicados com o atendimento ao artigo 16 da Instrução CVM nº 521/12 e as informações utilizadas na análise são provenientes do Banco Rendimento S.A. para conhecer a íntegra do relatório acesse aqui.

O banco

O Banco Rendimento, com mais de 28 anos de experiência, concentra seus esforços nas áreas de câmbio, crédito, investimentos e soluções de pagamentos.

Na área de câmbio, a instituição financeira é uma das maiores fornecedoras de papel moeda para o mercado brasileiro, importando e exportando uma grande variedade de moedas, entre elas, libra esterlina, dólar e euro. Além de oferecer aos seus clientes, assessoria completa em câmbio para serviços de transferências internacionais.

Na área de crédito, o banco atua no segmento de Middle Market, que compreende empresas com faturamento anual entre 20 e 500 milhões de reais e oferece soluções seguras, tanto para aplicações financeiras como para empréstimos de curto ou longo prazos.

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais