O Conselho de Administração da Engie (EGIE3) aprovou a captação de empréstimo na ordem de 100 milhões de dólares para investimento em um parque eólico no Nordeste.

Segundo a Reuters, a Engie está em fase final de negociação com os fornecedores e prestadores de serviço, daí a necessidade de aprovar a captação de recursos junto a bancos, em operação de swap.

Engie (EGIE3) aprova captação de US$ 100 mi para investir em parque eólico

EGIE3: usinas

A Engie fechou parceria com a empresa de geração renovável BC Energia para a construção de sete usinas solares fotovoltaicas.

As plantas destinam-se à modalidade de geração distribuída e serão instaladas nos Estados de Goiás, Minas Gerais e Distrito Federal.

As usinas terão capacidade instalada de 10,8 MWp. Somadas, adicionarão 21 GWh/ano à capacidade de geração de energia instalada da BC Energia, que chegará a 35,5 GWh em 2021 – o correspondente ao abastecimento de 20 mil residências.

EGIE3: propósitos

De acordo com Leonardo Serpa, diretor-presidente da Engie Soluções, a parceria está em linha com os propósitos da Engie, de contribuir para promover a sustentabilidade, a descentralização e a descarbonização na geração e em soluções na área de energia.

Segundo ele, a estratégia do grupo é liderar a transição energética em curso. Serpa também destaca que a geração solar distribuída é uma alternativa renovável e a custo competitivo para diversos segmentos.

EGIE3: incremento

Conforme a empresa, das sete unidades, três serão construídas em Goiás, sexto colocado no ranking de geração solar distribuída, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica.

Com o incremento de aproximadamente mais 4,6 MWp no estado, a BC Energia responderá por cerca de 6% da produção goiana.

Duas usinas ficarão no Distrito Federal, que ganhará mais 3 MWp com a BC Energia passando a responder por 10% de sua produção.

Outras duas plantas serão implantadas em Minas Gerais.

Veja EGIE3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: