Distribuidora de gás Naturgy projeta investir R$ 1 bi no RJ até 2023

A Naturgy, empresa de distribuição de gás canalizado do Rio de Janeiro, planeja investir R$ 1 bilhão no Estado até 2023 para expansão e renovação de sua rede, informou a companhia em comunicado nesta segunda-feira (23).

De acordo com a Naturgy, somente em 2021 a empresa espera reforçar a rede de gasodutos para ampliar a capacidade de abastecimento nos bairros da Barra da Tijuca e Recreio dos Bandeirantes, além de aumentar a capacidade de distribuição de gás para a Ilha do Governador.

Distribuidora de gás Naturgy projeta investir R$ 1 bi no RJ até 2023

RJ

Ainda na cidade do Rio de Janeiro, a distribuidora prevê 21 quilômetros de obras em oito bairros até dezembro, para “reforço e expansão da rede”.

A Naturgy projeta ainda o abastecimento de mais duas indústrias em Seropédica, na região metropolitana do Rio de Janeiro, até 2022, bem como investimentos nas redes dos municípios de Cabo Frio, Angra dos Reis, Itaguaí e Mangaratiba.

 “Com seu plano de desenvolvimento, a empresa fez com que o número de municípios abastecidos com gás natural passasse a 53”, disse a Naturgy, destacando que 25% dos domicílios fluminenses são abastecidos com gás canalizado.

A empresa

A empresa afirmou na nota que, apesar do cenário econômico adverso representado pela pandemia de coronavírus, conseguiu captar quase 40 mil novos clientes no ano até outubro–a grande maioria residenciais, acrescidos de 800 comércios e 15 indústrias.

A distribuidora espera gerar 14 mil empregos diretos e indiretos no Rio de Janeiro com os novos investimentos anunciados.

Mercado Livre de Gás Natural

O Rio de Janeiro entrou oficialmente no Mercado Livre de Gás Natural, a partir de uma deliberação aprovada nesta quinta-feira pela Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Estado (Agenersa).

“Com a decisão desta quinta-feira, a Agenersa contribui para a promoção da concorrência no setor e sua integração com os ramos elétrico e industrial, mediante a harmonização das regulações estadual e federal”, afirmou o presidente da agência, Tiago Mohamed, após aprovação por unanimidade em sessão virtual.

De acordo com dados da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan), para cada milhão de metro cúbico/dia de gás produzido no Rio há uma potencial de se gerar uma arrecadação anual adicional de mais de R$ 60 milhões em ICMS e R$ 20 milhões em royalties e participação especial para o Estado e municípios fluminenses.

A federação estima ainda que o Novo Marco Legal do Gás pode gerar investimentos de R$ 80 bilhões no país, sendo que R$ 45 bilhões poderiam ser direcionados para o Rio de Janeiro.

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais