A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens (CVCB3) divulgou na noite de quarta-feira (30) o balanço do primeiro trimestre de 2020, com atraso devido ao impacto da pandemia de covid-19 sobre os negócios da empresa.

De acordo com a demonstração trimestral, a CVC teve prejuízo líquido atribuído aos acionistas controladores de R$ 1,13 bilhão no trimestre de janeiro a março deste ano, depois de ter registrado lucro líquido de R$ 43,8 milhões no primeiro trimestre de 2019.

Já a receita líquida da CVC no primeiro trimestre de 2020 foi de R$ 397,0 milhões, em queda de 18,0% ante receita de R$ 484,7 milhões um ano antes.

CVC Brasil (CVCB3) já levantou R$ 269 mi em aumento de capital privado

1TRI

Conforme a empresa, no primeiro trimestre deste ano, a CVC teve prejuízo operacional de R$ 846,8 milhões, ante lucro operacional de R$ 65,3 milhões no mesmo trimestre do ano passado.

A operadora teve despesa financeira de R$ 50,3 milhões no primeiro trimestre deste ano, em alta de 24,9% ante a despesa financeira de R$ 40,2 milhões de um ano antes.

Unificação

A partir de setembro a equipe comercial das marcas B2B da CVC Corp será unificada. Trend, Visual, Esferatur e RexturAdvance terão os mesmos diretores (Flávio Marques e Leonardo Mignani), gerentes, coordenadores e executivos.

Com a reestruturação, Cleiton Feijó deixará o time da CVC Corp, onde cuida da Visual Turismo atualmente. A nova estrutura será anunciada em breve, com os nomes das novas caras do Lazer e Consolidação na CVC Corp.

A CVC Corp também encomendou um estudo à empresa de consultoria GAD, para redesenhar o escopo de suas mais de dez marcas. A tendência é que algumas sejam integradas ou reunidas sob um novo guarda-chuva. Por exemplo, RexturAdvance e Esferatur, que são consolidadoras e vendem os mesmos produtos.

A expectativa é ter o estudo pronto até o final do ano, para começar 2021 com nova cara.

Veja CVCB3 na Bolsa:

https://www.youtube.com/watch?v=_KXf15mMWLg
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: