A CVC Brasil (CVCB3) comunicou nesta sexta-feira (18) que vai descontinuar as operações de sua subsidiária Almundo no México e na Colômbia, que atuam exclusivamente no segmento online, citando baixo volume de vendas e efeito da pandemia da Covid-19.

Os impactos nos resultados para a conclusão deste processo, de acordo com a operadora de turismo, serão principalmente R$ 23 milhões em impairment de ativos locais, e R$ 3 milhões em despesas legais, indenizações e outras.

CVC Brasil (CVCB3) já levantou R$ 269 mi em aumento de capital privado
CVC Brasil (CVCB3) já levantou R$ 269 mi em aumento de capital privado

CVM

De acordo com o comunicado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM), as operações da Almundo no Brasil serão transferidas para o Submarino Viagens, uma vez que a empresa procura sinergias administrativas, tecnológicas e comerciais.

“Estimamos que a implementação dessas ações seja concluída no primeiro trimestre de 2021”, acrescentou.

Subscrição de ações

A companhia pode levantar até R$ 401,3 milhões com os bônus de subscrição concedidos a quem participou do aumento de capital realizado em meados de setembro. Na ocasião, a operadora de turismo captou R$ 301,7 milhões por meio da emissão de 23,5 milhões de ações ordinárias. Como incentivo, cada investidor recebeu também um bônus por ação adquirida.

Cada bônus dá direito a mais 1,33 ação. Nesta quinta-feira (17), a CVC informou que o preço para subscrição é de R$ 17,0772 por bônus, equivalente a R$ 12,84 por ação. O valor embute um desconto de 41,3% sobre os R$ 21,86 com que as ações fecharam na B3 ontem.

Assim, se todos os investidores decidirem converter seus direitos em novas ações, a empresa poderá obter mais R$ 401 milhões. A companhia informa que o prazo de subscrição expira no próximo dia 29 de janeiro.

Veja CVCB3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: