Os Correios colocaram dezenas de imóveis à venda em várias regiões do país. São 21 editais de venda de apartamentos, prédios, terrenos, entre outros, no Distrito Federal, em Goiás, no Mato Grosso do Sul, no Paraná e em Santa Catarina.

As licitações estão agendadas até o dia 14 de outubro e as informações sobre os editais podem ser encontradas na página dos Correios.

A estatal, existente desde 1969, criou um “Feirão de Imóveis”. A ideia é vender, no total, imóveis em 17 estados e no Distrito Federal.

Os interessados poderão conhecer os imóveis por fotos e vídeos, além de agendar visitas presenciais. Para cada imóvel será divulgado o respectivo edital de licitação, contendo o preço mínimo de venda e outros detalhes.

O governo tem demonstrado interesse em vender a empresa para a iniciativa privada. Em agosto, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) homologou o consórcio Postar como vencedor do processo de seleção para realização dos estudos que indicarão alternativas de parceria com a iniciativa privada para gestão do serviço postal no Brasil.

A venda da estatal, no entanto, precisa passar pelo Congresso Nacional para ser confirmada.

Correios: regulamentação pode ir ao Congresso ainda este mês

Privatização

O projeto de lei (PL) da privatização dos Correios será encaminhado nas próximas semanas ao Congresso Nacional, segundo a secretária especial do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI), Martha Seillier.

“O PL já foi assinado pelo ministro (da Economia) Paulo Guedes e está em avaliação pelo ministro Fábio Faria (Comunicações). Vamos encaminhar nas próximas semanas”, afirmou, ao participar da abertura do último dia do Painel Telebrasil 2020, na terça-feira (29).

“A agenda segue nos mais diversos setores. Na área de privatizações, o PL da Eletrobras é muito importante e, amanhã (quarta-feira), na B3 (Bolsa de Valores de São Paulo) haverá o leilão da concessão de saneamento básico de Alagoas”, ressaltou. Segundo Seillier, o PPI foi criado para facilitar, para os investidores, o acesso às oportunidades de infraestrutura e à agenda de privatizações. “É um grande Hub para atração de investimentos privados ao Brasil e também uma oportunidade de agregar governança no processo. Estamos buscando irradiar para estados municípios parcerias e privatizações a fim de atingir uma maior gama de serviços”, ressaltou.

Conforme a secretária, o leilão de 5G é prioridade do PPI. “Temos muitos projetos importantes, que podem contribuir para a retomada de crescimento. Precisamos de 4% do PIB (Produto Interno Bruto) em investimentos de infraestrutura e, no ano passado, foram investidos menos de 2%. Temos um dever de casa importante a fazer, mas não será pelo investimento público”, disse. “Mas por meio das parcerias com o setor privado”, completou.

https://www.youtube.com/watch?v=_KXf15mMWLg
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: