A C&A (CEAB3) teve prejuízo líquido de R$ 28,2 milhões no terceiro trimestre, revertendo resultado positivo de R$ 19,1 milhões um ano antes, ainda afetada pelas medidas contra o coronavírus.

A receita líquida total caiu 14,1%, para R$ 1 bilhão, enquanto as vendas mesmas lojas (SSS) recuaram 13,9%. A varejista disse que ao final do trimestre as receitas totais já estavam acima do nível do ano passado.

C&A

Resultado operacional

O resultado operacional medido pelo Ebitda de varejo ajustado somou R$ 96,6 milhões, queda de 50,9% ano a ano. O Ebitda ajustado recuou 67,4%, para R$ 64,7 milhões, com a margem cedendo para 6,1%, de 16% um ano antes.

As vendas sob a métrica GMV total atingiram R$ 213,8 milhões, um salto 418% em relação ao terceiro trimestre de 2019, em resultado que a companhia atribuiu ao forte desempenho do ecommerce e evolução da ‘Galeria C&A’, marketplace da rede.

Ações

As ações da C&A fecharam em queda de 7,30%, a R$ 12,70, nesta quinta-feira (12), pior desempenho do Small Caps, que recuou 2,19%. No ano, acumulam queda de 28,19%.

Brechó

As varejistas C&A e Renner anunciaram esta semana, de forma independente, parcerias com o brechó online Repassa. A partir de agora, os consumidores poderão vender roupas, calçados e acessórios usados por meio do projeto “Sacola do Bem”, criado pela startup.

Funciona assim: os consumidores recebem as sacolas, escolhem as peças e devolvem para as lojas. O brechó recebe os produtos, que passam por um processo de curadoria, fotografia e cadastro, antes de serem colocados à venda.

Bio

A C&A é uma cadeia internacional de lojas de vestuário. No Brasil, é uma das maiores rede de lojas de departamento do país e a décima segunda maior empresa varejista, segundo ranking do Ibevar em 2012. Foi fundada nos Países Baixos em 1841 pelos irmãos Clemens e August como uma empresa têxtil.

Veja CEAB3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: