Empresa de meios de pagamentos, o PagSeguro quer acessar o mercado acionário. Para isso, terá que adquirir ou desenvolver uma plataforma de investimentos. A primeira opção já foi levada adiante com a análise que a companhia fez da corretora Guide.

Segundo o Estadão, o PagSeguro é uma empresa listada na bolsa de Nova Iorque. Antes da Guide, a companhia já havia sondado a Easynvest, recém-comprada pelo Nubank.

Aos poucos, o PagSeguro já está ampliando o leque de serviços no segmento financeiro. Em 2019 a empresa lançou sua conta digital, o PagBank.

Conforme o jornal, a equipe para a área de investimentos já começou a ser montada e, com caixa muito robusto, a empresa irá às compras, caminho mais célere para dar escala ao negócio.

PagSeguro quer plataforma de investimentos e cogita adquirir a corretora Guide

Guide

Segundo o jornal, a Guide é controlada pela chinesa Fosun, que há quase um ano contratou o Credit Suisse para vender uma participação minoritária.

Nesse formato, contudo, embora os interessados apareçam, as conversas não vão adiante. Não há praticamente quem não tivesse olhado a oportunidade. Mais recentemente, houve conversas com o BTG Pactual, que está na busca de ganhar musculatura de sua plataforma, que também acabaram indo para o congelador.

Como o processo se arrasta há vários meses, internamente, haveria já um clima de certa insatisfação, o que teria provocado a saída de alguns agentes autônomos.

Chineses

De acordo com o Estadão, os chineses, que inicialmente queriam manter o controle e atrair um sócio estratégico, para alavancar mais o negócio, tem se mostrado inclinados a vender até a totalidade de sua participação, mas tudo está esbarrando na questão do preço.

Eles já entendem que seu ativo valorizou, dada a forte movimentação que a indústria de investimento vive.

O resultado das eleições dos Estados Unidos também está pesando nas decisões de investimento externo dos chineses, e de todos os que tem negócios fora de seu país.

Isso porque, uma piora nas relações de ambos países, o que ficaria mais evidente na eventual vitória de Donald Trump, pode reduzir o apetite para novos investimentos em países sob influência dos EUA.

Aberta a sociedade

Ainda segundo o jornal, a Guide seria uma das únicas, de seu porte, disponíveis para a entrada de um novo sócio.

Com cada vez mais competição nesse mercado as corretoras com algum porte já foram negociadas.

Ainda neste ano o Credit Suisse fechou acordo para a compra de uma fatia na Modalmais e o Santander anunciou a compra do controle da Toro Investimentos.

Procurada, a Guide disse que “segue seu plano de expansão em todos os segmentos de negócios e clientes e não comenta boatos do mercado”. PagSeguro não comentou até o momento.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: