KPMG aponta 3 modelos de bancos de varejo que podem dominar o mercado

De acordo com o estudo “Futuro do banco de varejo” (do original em inglês, Future of retail banking), produzido pela KPMG, existem três modelos de banco de varejo com maior probabilidade de dominar o mercado financeiro que são os seguintes: bancos universais; instituições financeiras focadas em transações; e bancos com foco ambiental. O levantamento indica também que, em todos os modelos, o cliente será fundamental para as estratégias.

O relatório mostra que o sucesso dos bancos universais será baseado em dados e no desenvolvimento de ecossistemas próprios para atender a maioria dos clientes. Segundo o estudo, isso permitirá que as instituições financeiras possam expandir-se em novos negócios, como ajudar os consumidores a economizar em grandes gastos. Além disso, a utilização de dados de transação será a chave para permitir uma compreensão do comportamento do cliente e oportunidades para ajudá-los.

Bancos de Varejo

A pesquisa mostra também que o modelo de instituições financeiras focado em transações terá sucesso no futuro se priorizar uma economia única, garantindo que o custo unitário das transações seja coberto pela receita gerada. De acordo ainda com relatório, esse modelo é focado em segmentos específicos de clientes, além de constantemente inovar e expandir os serviços.

“Os bancos universais poderão reter alguns clientes com as redes locais para garantir ao consumidor uma boa experiência na interação global, além de priorizarem as comunidades rurais que possuem uma deficiência em acesso digital. O modelo operacional terá necessariamente que ser o mais automatizado possível para impulsionar a eficiência de custos. Com relação aos bancos focados em transações, o sucesso está ligado ao expressivo histórico de transações do cliente”, explica o sócio-líder de serviços financeiros da KPMG, Cláudio Sertório.

  • Só clique aqui se já for investidor

Terceiro modelo

Segundo o estudo, o terceiro modelo de banco de varejo é a instituição financeira ambiental. A análise aponta que pelo fato de ser um agente “invisível” que utiliza o conceito de Internet das Coisas (IoT), cria-se a possibilidade do banco ter uma compreensão mais profunda dos clientes, como hábitos de gastos e necessidades de crédito.

Cinco estratégias que irão impactar os três modelos de banco no futuro

A pesquisa especifica os cinco temas estratégicos que impactarão significativamente os três modelos de negócios que são os seguintes: identificar e atender as necessidades dos clientes; focar em custo de condução e eficiência; adotar novas formas de trabalho; atender ao aumento do volume de mudanças regulatórias; e reconhecer o papel do banco dentro de um ecossistema mais amplo.

Segundo o sócio-líder do setor financeiro da KPMG na América do Sul, Ricardo Anhesini, além das estratégias, os novos modelos de bancos de varejo precisarão ter maturidade em questões de estratégia e ações baseadas em intuições, produtos e serviços inovadores, e interações perfeitas com o comércio. “Mais da metade dos entrevistados já está trabalhando com recursos centralizados no cliente. Isso mostra que atender ao usuário nas necessidades que ele precisa é o caminho para os bancos de varejos terem sucesso”, finaliza.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais