O conselho de Administração da CSN (CSNA3) autorizou a companhia a tomar as medidas necessárias para realizar uma oferta inicial de ações (IPO) de sua unidade de mineração para financiar projetos de expansão para exploração completa do potencial de suas reservas e recursos.

Em fato relevante nesta segunda-feira (21), a CSN comunicou que o conselho aprovou na última sexta-feira novo plano de negócios da controlada CSN Mineração (CMIN).

Segundo a Reuters, também autorizou seus diretores a tomarem medidas exigidas para a realização de IPO da unidade, com o objetivo de financiar parte do plano de negócios.

IPO: construtora Plano & Plano pretende levantar R$1 bi

IPO: endividamento

No final de julho, em teleconferência sobre o resultado do segundo trimestre, executivos da companhia voltaram a citar o IPO da unidade de mineração com uma das possíveis iniciativas para reduzir o endividamento.

A CSN também divulgou a atualização de suas projeções, estimativa de obtenção de alavancagem medida pela relação dívida líquida sobre o Ebitda aplicável de 2,99 vezes no fechamento do balanço anual de 2020.

Na mesma teleconferência no final de julho, executivos previram que a relação dívida líquida sobre o Ebitda radiação, de 5,17 vezes no segundo trimestre, iria cair para abaixo de 3,75 vezes até o fim de 2020, recuando a 3 vezes no fim do próximo ano.

Ebitda

A companhia também prevê atingir lucro antes de juros impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de aproximadamente R$ 9,75 bilhões para 2020 e calcula investimentos (capex) de aproximadamente R$ 1,50 bilhão neste ano.

Grupo Mateus quer R$ 6,25 bi

O Grupo Mateus, que opera supermercados e lojas de atacado, está planejando uma oferta pública inicial (IPO) de até R$ 6,25 bilhões, de acordo com um documento regulatório.

A empresa usa a faixa de preço entre R$ 8,97 e R$ 11,66 para cada ação. O preço final definido em 8 de outubro.

Embora o objetivo principal da oferta seja levantar recursos para expandir os negócios, os acionistas do Grupo Mateus também planejam vender parcialmente suas participações.

Tanto a empresa quanto seus acionistas venderão 397.286.822 ações no IPO, mas o total pode chegar a 536.337.209 ações incluindo lotes extras.

As instituições XP Inc, Banco Bradesco, Banco BTG Pactual, Banco Safra, Banco do Brasil, do Banco Santander Brasil e do Itaú Unibanco Holding coordenarão a oferta.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: