EDP Brasil (ENBR3) supera expectativas no 4º tri e analistas recomendam compra

A EDP Brasil (ENBR3) reportou resultados positivos no quarto trimestre de 2020, na perspectiva de analistas do mercado financeiro, e, por conta disso, teve sua recomendação reforçara para compra.

Isso porque a companhia obteve Ebitda ajustado, de R$ 659,2 milhões, superando a estimativa de consenso da Bloomberg, de R$ 620 milhões, e a projeção da XP Investimentos, de R$ 528,6 milhões. O número, excluindo itens não recorrentes, ficou ainda 25% acima da projeção do BTG Pactual.

A XP, o BTG e a Mirae Asset classificam os resultados como positivos e mantêm recomendação de Compra para a ação, com preços-alvo de, respectivamente, R$ 21, R$ 22 e R$ 22,17.

O papel fechou as negociações de segunda-feira (22) em queda de 3,11%, a R$ 18,05, surfando na onda do Ibovespa, que caía 4,87%, aos 112.668 pontos. As ações sentiam o peso do aumento do risco político após a interferência de Jair Bolsonaro na Petrobras (PETR4), apesar de o novo CEO, João Marques da Cruz, ter declarado que a companhia não crê em interferência do governo no setor elétrico.

EDP Brasil (ENBR3) vê lucro crescer 25,5% no 2TRI e ajusta politica de dividendos

EDP Brasil: desempenho

Os resultados acima do esperado, segundo a XP Investimentos, devem-se principalmente a um melhor desempenho no braço de gestão hidrelétrica da companhia, devido a uma melhor estratégia de alocação da garantia física e compras de energia para hedge, e a menores despesas gerenciáveis.

Já o BTG Pactual acrescenta a esta lista a compensação do GSF, o reajuste tarifário anual, o efeito positivo de sobre contratação devido a maiores preços spot, e resultados mais sólidos do braço comercial.

A performance da companhia no curto prazo, na visão da Mirae, deve continuar positiva: “Esperamos que a empresa se mantenha eficiente no controle de custos ao longo dos próximos meses, bem como em aumento de demanda, principalmente ao longo de 2021, com a expectativa de retomada da economia.’

EDP Brasil: complemento

Para além do resultado, a companhia propôs um complemento de R$ 240,4 milhões ao pagamento mínimo de R$ 1 por ação de dividendos. Caso seja aprovado em assembleia, o montante representa dividendos de 2020 de R$ 599 milhões.

Adicionalmente, a companhia anunciou a substituição de Miguel Nuno Simões Nunes Ferreira Setas por João Manuel Veríssimo Marques da Cruz no cargo de CEO.

Como principais riscos para a ação, o BTG cita o fato de os setores de energia elétrica e água estarem sujeitos a interferências políticas ou jurídicas, o que pode afetar o fluxo de caixa; e uma mudança abrupta na taxa de câmbio, que pode impactar negativamente os investidores estrangeiros.

Veja ENBR3 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais