Março de 2020 foi marcante para a B3 (B3SA3) e seus investidores. O Ibovespa-1,31% apresentou a maior queda mensal da história desde 1998, com um recuo de quase 30% por conta da crise sanitária causada pelo novo coronavírus (covid-19).

Desde então, é possível notar uma oscilação constante na B3, o que pode ter assustado muitos investidores, principalmente os novatos na renda variável que comemoraram o Ibovespa bater os 120 mil pontos.

Artigo de Fabrízio Gueratto

Scalping: conheça a modalidade arriscada de trade que busca maximizar ganhos

B3SA3: olhar só o preço da ação é uma boa estratégia?

Muitos investidores olham somente o preço atual da ação em relação ao valor que estava meses atrás e esquecem as outras variáveis que são importantes na hora de investir em uma empresa.

Por isso, é sempre necessário enfatizar que o investidor não deve observar apenas o valor da ação. Quando se está de olho em algum papel, independentemente do tamanho da empresa, não basta apenas calcular a variação do último mês e o seu valor naquele momento.

Existem inúmeros outros fatores, como os executivos que tocam o negócio, posicionamento frente aos concorrentes, fluxo de caixa e capacidade da companhia de inovação ou share no mercado.

Olhar o preço de uma ação em relação a outras em um determinado período pode indicar a possibilidade daquele ativo estar descontado, ou seja, abaixo do preço que deveria estar. Neste momento, isso pode ser mais claro olhando os grandes bancos, por exemplo.

B3SA3: abaixo as 10 maiores empresas da B3 e como cada uma delas se recuperou da crise do novo coronavírus.

  • 10 – Itaú Unibanco (ITUB4+0,62%)

Mínima: 23 de março 2020 – R$ 20,52

Atualmente: 28 de setembro 2020 – R$ 23,08

Subiu: 12,43%

  • 9 – Ambev (ABEV3-1,02%)

Mínima: 16 de março – R$ 11,03

Atualmente: 28 de setembro R$ 12,54

Subiu: 13,69%

  • 8 – Santander (SANB11+2,37%)

Mínima: 23 de março – R$ 24,32

Atualmente: 28 de setembro – R$ 28,25

Subiu: 16,21%

  • 7 – Banco Bradesco (BBDC4+1,11%)

Mínima: 23 de março – R$ 16,06

Atualmente: 28 de setembro R$ 19,99

Subiu: 24,47%

  • 6 – Banco do Brasil (BBAS3+0,17%)

Mínima: 23 de março – R$ 22,13

Atualmente: 28 de setembro – R$ 30,73

Subiu: 38,86%

  • 5 – Vale S.A. (VALE3-0,61%)

Mínima: 23 de março – R$ 34,10

Atualmente: 28 de setembro – R$ 59,07

Subiu: 73,23%

  • 4 – PETROBRAS (PETR4-3,68%)

Mínima: 18 de março – R$ 11,29

Atualmente: 28 de setembro – R$ 19,91

Subiu: 76,35%

  • 3 – B3 (B3SA3)

Mínima: 23 de março – R$ 30,45

Atualmente: 28 de setembro – R$ 55,92

Subiu: 83,65%

  • 2 – WEG (WEGE3+0,28%)

Mínima: 18 de março – R$ 26,47

Atualmente: 28 de setembro – R$ 63,66

Subiu: 140,36%

  • 1 – Magazine Luiza (MGLU3-4,13%)

Mínima: 18 de março – R$ 28,81

Atualmente: 28 de setembro R$ 88,99

Subiu: 208,89%

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: