Aura Minerals (AURA33) reporta fortes dados de produção no 1º tri e XP reitera Compra

Trata-se de uma alta de 68% na comparação anual

A XP Investimentos analisou o ativo Aura Minerals (AURA33) em seu portfólio e optou por reiterar a recomendação de Compra com preço-alvo de R$ 95 por BDR.

“A companhia reportou uma produção de 67kGEO (onça equivalente em ouro), sendo a segunda maior produção trimestral da história da mineradora”, disse.

E acrescentou: “a produção reportada indica uma queda de menos 3% no trimestre e uma alta de 68% na comparação anual.”

A XP destacou o forte desempenho na mina de Aranzazu, para 25kGEO, alta de 31% no trimestre e 82% na comparação anual. Em San Andres, a alta de 12% T/T (21kGEO, +47% A/A) foi resultado da melhora nos processos de operação, além do acesso à áreas de teor mais alto.

“Vemos os dados de produção como positivos, em linha com os anúncios da companhia”, frisou.

Aura Minerals (AURA33) aprova projeto no Tocantins e gestora reitera compra de ações

Aura Minerals

A produtora canadense de ouro Aura Minerals reportou lucro líquido de US$ 57,5 milhões no quarto trimestre (ou US$ 0,81 por ação) de 2020, o que representa quase o dobro dos US$ 29,7 milhões reportados no mesmo período do ano anterior.

A receita líquida acompanhou a sequência de crescimento dos trimestre anteriores e somou US$ 100,6 milhões, alta de 44% na comparação com o mesmo intervalo de 2019, quando a empresa registrou R$ 69,6 milhões.

Balanço

Entre outubro e dezembro, a Aura registrou produção total de 64.530 onças equivalentes de ouro (GEO), um avanço de 20,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. Entre janeiro a dezembro, foram 194.675 onças, ante 177.500 reportadas em 2019. Para 2021, a companhia projeta um montante entre 250 mil e 290 mil onças equivalentes.

Em 2020, a Mina EPP (Ernesto/Pau-a-Pique) registrou a maior produção anual com 66.847 onças no total. Segundo a companhia, o aumento foi impulsionado, principalmente, por maiores teores por onça pela mina Ernesto, que entrou em produção comercial a partir de 1º de outubro de 2020, e pela redução da relação estéril-minério.

Veja AURA33 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais