TRADERS – CRESCE O NÚMERO DE PROFISSIONAIS NA BOLSA DE VALORES

“Somente este ano teve um aumento de 30% de pessoas interessadas em aprender sobre a profissão de trader”

Segundo relatório da B3, atualmente existem 1.161.514 CPFs cadastrados na Bolsa, o que representa um aumento de 40% em relação ao ano de 2018.

O número é significativo e demonstra um crescimento da procura pela opção da renda variável. Além da tendência, é possível perceber um avanço, não só daqueles que buscam a Bolsa de Valores como opção de diversificação, mas também dos que fizeram da renda variável uma profissão.

De acordo com a B3, em 2015, 581 investidores negociavam minicontratos. Já em 2018 o número passou para 14.211 negociantes.

Aumenta a procura por traders:

O Estrategista-Chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus, também percebeu o aumento dessa tendência. “Só esse ano a Laatus teve um aumento de cerca 30% de pessoas querendo aprender sobre a profissão de trader. Sem sombra de dúvidas a maioria está começando no mercado operando nos minicontratos”, disse.

O grupo Laatus oferece, além de um coworking voltado para traders, cursos formadores para os interessados em fazer da renda variável uma profissão. Para Jefferson, os minicontratos, além de outros produtos financeiros criados pela B3, vêm ajudando na popularização, mudando a visão sobre o mercado financeiro.

“Antigamente as pessoas olhavam o mercado financeiro como coisa para rico, e realmente era muito caro operar a 6 anos atrás, por exemplo. Hoje, com os minicontratos você consegue atuar com apenas R$ 100, e em algumas corretoras até sem taxas, o que populariza a profissão”, disse o Estrategista-Chefe do Grupo.

O que levou a esse aumento pela profissão:

Além dos novos produtos do mercado financeiro, o aumento de informações para o público e o alto desemprego no país também auxiliaram para o crescimento de profissionais na área, que conta com diversas formas de atuação.

“Dentro desses grupos temos a pessoa que faz day trade, ou sejam, negociam contratos no espaço de um dia, sendo esse o foco de formação da Laatus. Temos os investidores que montam uma carteira de ações e a gerenciam por uma semana, um mês, um ano ou mais. Sendo o swing trade mais de curto prazo, normalmente entre dois e cinco dias. E por fim, o position trade mais para o médio e longo prazo”, explicou.

Laatus ainda afirma que essa transição, apesar de ter bons números, ainda é pequena quando comparada com números de outros mercados. “Apesar de todos os fatores temos uma migração lenta.

Hoje em dia no Brasil temos 1 milhão de CPFs ativos, nos EUA são cerca de 210 milhões, ou seja, 70% da população americana versus 0,05% da população brasileira”, completou Jefferson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.