A estatal mineira de energia Cemig (CMIG4) pretende continuar com um plano de venda de ativos originalmente desenhado para reduzir dívidas.

Segundo a Reuters, o nível de endividamento atual já é muito mais confortável que no passado recente.

A companhia classificou sua participação na elétrica Light, na qual já foi controladora, como ativo mantido para venda, o que gerou impacto negativo no primeiro trimestre, em meio à deterioração no valor das ações da empresa depois da pandemia de coronavírus.

Até o final de junho, no entanto, os papéis da Light acumulavam ganhos de mais de 100% em relação à mínima do ano, de R$ 7,30 por ação em meados de março.

A recuperação ajudou nos resultados da Cemig do segundo trimestre, com efeito positivo de R$ 475 milhões, ou R$ 314 milhões sem impostos.

Os execuvitos da Cemig conersaram com analistas na segunda-feira (17) em sua teleconferência de resultados.

Cemig (CMIG4) pagará R$ 764,2 mi em dividendos
Cemig (CMIG4) pagará R$ 764,2 mi em dividendos

CMIG4: redução da alavancagem

Superintendente de Relações com Investidores, Antonio Carlos Velez destacou a significativa redução da alavancagem financeira da empresa, medida pela relação entre dívida líquida e geração de caixa ajustada (Ebitda).

Esse indicador de alavancagem fechou o segundo trimestre em 2 vezes, contra 2,28 vezes no primeiro trimestre e 2,7 vezes no fim de 2019. Em 2018, o índice era de 3,24 vezes.

Já a redução da dívida líquida foi ajudada pela forte posição de caixa da companhia, destacaram executivos, visto que a empresa fechou junho com R$ 3,7 bilhões disponíveis, contra R$ 1,28 bilhão ao final de 2019.

A alavancagem também ficou bem abaixo de limites acertados junto a credores, incluindo de títulos emitidos pela Cemig no exterior, os chamados eurobonds.

CMIG4: lucro líquido

A companhia registrou lucro líquido de R$ 1,04 bilhão no segundo trimestre, cerca de 50% abaixo dos ganhos de R$ 2,11 bilhões em igual período do ano passado.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 1,8 bilhão, estável na comparação anual. Já o Ebitda ajustado, que exclui fatores não recorrentes, ficou em R$ 941 milhões, recuo de 11,3% ano a ano.

Veja CMIG na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: