Mercados de ações da Europa despencam com commodities

Ibex 35, bolsa de Madri, ficou em queda de 2,48% aos 7.959 pontos

Os mercados de ações da Europa despencaram nesta terça-feira. Os investidores analisaram os dados econômicos, os preços das commodities, como o petróleo, e da energia elétrica.

Índices da Europa
O índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 2,11% aos 400.68 pontos. O FTSE100, bolsa de Londres, ficou em queda de 2,68% aos 7.025 pontos. O FTSE MIB, bolsa de Milão, ficou em queda de 2,99% aos 20.705 pontos. O Ibex 35, bolsa de Madri, ficou em queda de 2,48% aos 7.959 pontos. O PSI-20, bolsa de Lisboa, ficou em queda de 2,89% aos 5.879 pontos. O CAC-40, bolsa de Paris, caiu 2,68% aos 5.794 pontos. O DAX-30, bolsa de Frankfurt, ficou em queda de 2,91% aos 12.401 pontos.

O clima de aversão ao risco tomou conta do mercado acionário europeu. O temor elevado para um avanço maior da inflação foi justificado pelos preços da energia elétrica.

Para tornar o cenário ainda mais desanimador, com a Rússia ameaçando o corte no fornecimento de gás para a Europa, os trabalhadores de vários países cruzaram os braços nesta terça-feira. Os noruegueses estavam na lista.

Ainda hoje, as preocupações elevadas de uma “possível” recessão global pressionaram os preços do petróleo.  O contrato futuro do petróleo tipo Brent para entrega em setembro estava em queda de 9,59% a US$102, 61 o barril.

Na lista de cautela ficou o Banco Central da Inglaterra – BoE, que divulgou a ata da última reunião com projeções pessimistas para o restante do ano.

O presidente do BoE, Andrew Bailey, citou a guerra na Ucrânia, a deterioração da economia global, os preços das commodities impactando o de produtos e também a inflação. “O Conselho do BoE está analisando e avaliando a vulnerabilidade das commodities. As taxas de juros, os preços dos insumos mais altos, o crescimento econômico mais fraco e interrupções na cadeia de suprimentos, que devem pesar nos balanços das empresas”, avaliou Bailey destacando também o desempenho do setor de trabalho.

Sobre os indicadores, o índice de produção composto  para a Zona do Euro ficou em 52,0 em junho, ante os 54,8 de maio, baixa de 16 meses.

Já o índice final de atividade de negócios de serviços da Zona do Euro, em junho, ficou em 53,0, abaixo de 56,1 de maio e marcando cinco meses de baixa. A leitura da S&P Global  foi feita entre os dias 13 a 27 de junho.

Os dados mais recentes do PMI apontaram para uma expansão adicional da economia da Zona do Euro em junho, como tem acontecido em todos os meses desde março de 2021. No entanto, o ritmo de crescimento desacelerou para o mais fraco nessa sequência e foi apenas modesto no geral.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.