Europa fecha no vermelho com com dados dos PMIs

Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,19% aos 437.46 pontos

Os *mercados da Europa ficaram no negativo nesta segunda-feira. Os investidores permanecem cautelosos com o setor de energia. Pesou também a questão de uma “possível” desaceleração da economia chinesa, com o PMI de Produção recuado no mês de julho. Os preços do petróleo influenciaram as ações das empresas do setor.

Índices da Europa
O índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,19% aos 437.46 pontos. O FTSE100, bolsa de Londres, ficou em queda de 0,13% aos 7.413 pontos. O FTSE MIB, bolsa de Milão, subiu 0,11% aos 22.429 pontos. O Ibex 35, bolsa de Madri, caiu 0,87% aos 8.085 pontos. O PSI-20, bolsa de Lisboa, caiu 0,43% aos 6.096 pontos. O CAC-40, bolsa de Paris, caiu 0,18% aos 6.436 pontos. O DAX-30, bolsa de Frankfurt, ficou estável aos 13.479 pontos.

As ações de empresas de commodities foram as que mais caíram nos mercados da região. A mineradora Anglo American viu os papéis em menos 3,98%. As petroleiras BP e Shell também caíram 1,91% e 1,97%, respectivamente.

Hoje, os investidores acompanharam os indicadores econômicos. Na Alemanha, por exemplo, o Destatis mostrou que as vendas no varejo ficaram em queda de 1,6% e o volume de negócios nominal abaixo em 0,5%, em junho de 2022 ante o mês anterior.

O S&P Global Markit divulgou o índice de Manufatura – PMI para a Europa, com a queda de 52,1 em junho para 49,8 em julho. Essa foi a primeira deterioração nas condições gerais de fabricação em pouco mais de dois anos.

O PMI de fabricação final da Zona do Euro ficou em 49,8, com baixa de 25 meses. O índice final de Saída da Produção Industrial da EA19 ficou em 46,3 em julho, depois de 49,3 em junho, com 26 meses em baixa.

Países classificados pelo PMI para julho

Holanda 54,5 mínima de 20 meses;

Áustria 51,7 alta de 2 meses;

França 49,5 mínima de 26 meses;

Alemanha 49,3 mínima de 25 meses;

Grécia 49,1 mínima de 19 meses;

Espanha 48,7 mínima em 26 meses; e

Itália 48,5 mínima de 25 meses.

A desaceleração mais forte ao nível agregado da EA19 refletiu a deterioração das condições do setor manufatureiro nas maiores economias da zona de moeda única.

Alemanha, França, Itália e Espanha ficaram abaixo de 50,0 nas leituras dos PMIs de Manufatura em julho. A Grécia também contraiu pela primeira vez em pouco mais de um ano e meio.  A Holanda teve melhor desempenho, embora o crescimento tenha recuado para uma baixa de 20 meses. A Áustria registrou um PMI mais alto na leitura do que em junho e um indicativo de apenas modesta expansão.

Hoje, o Eurostat divulgou a taxa de desemprego ajustada para o mês de junho para a Zona do Euro, que ficou em 6,6%, estável em comparação com maio de 2022 e abaixo de 7,9% em junho de 2021. O indicador para a União Europeia foi de 6,0% em junho de 2022, também estável em comparação com maio de 2022 e abaixo de 7,2% em junho de 2021.

*Acompanhe mais destaques dos mercados também nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.