Europa devolve alta com política e inflação

DAX-30, bolsa de Frankfurt, recuou 0,20% aos 13.281 pontos

O mercado de ações da Europa voltou para o campo negativo. O radar permanece na questão energética, com o temor sobre o abastecimento pela Gasprom do gás russo para a Europa. Questões políticas na Itália e os indicadores da inflação do Reino Unido também ficaram entre os pontos de atenção.

Índices da Europa

O índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,21% aos 422.51 pontos. O FTSE100, bolsa de Londres, caiu 0,44% aos 7.294 pontos. O FTSE MIB, bolsa de Milão, caiu 1,60% aos 21.348 pontos. O Ibex 35, bolsa de Madri, recuou 1,18% aos 8.028 pontos. O PSI-20, bolsa de Lisboa, caiu 0,60% aos 5.940 pontos. O CAC-40, bolsa de Paris, caiu 0,27% aos 6.184 pontos. O DAX-30, bolsa de Frankfurt, recuou 0,20% aos 13.281 pontos.

É prevista para amanhã a retomada do fornecimento do gás russo para a Europa pela Gasprom. A companhia garantiu o final da manutenção de uma turbina para a retomada do processo. Porém, a dúvida permanece, já que a guerra na Ucrânia fez a Rússia endurecer com o acordo de fornecimento do insumo para diversos países europeus.

No campo político, o primeiro-ministro da Itália Mario Draghi pediu ao Senado um voto de confiança para decidir se permanece no posto. No entanto, o presidente italiano Sérgio Mattarella pediu para que Draghi permaneça no posto.

Enquanto isso, no Reino Unido, os nomes que deverão disputar o cargo de primeiro-ministro no lugar de Boris Johnson só serão conhecidos em setembro depois do recesso de verão. Johnson fez hoje seu último discurso para os parlamentares ingleses e se despediu bem ao estilo Arnold Schwarzenegger: “Hasta la vista, baby”, que acabou virando jargão popular depois que o astro usou no filme “Exterminador do Futuro”.

Fora o polêmico ex-primeiro-ministro, o Reino Unido viu o Índice de Preços ao Consumidor, incluindo os custos de habitação dos ocupantes proprietários (CPIH), aumentando 8,2% nos 12 meses até junho de 2022, ante 7,9% em maio. Em uma base mensal, o CPIH subiu 0,7% em junho de 2022, em comparação com um aumento de 0,4% em junho de 2021.

O Índice de Preços ao Consumidor (CPI) subiu 9,4% nos 12 meses até junho de 2022, ante 9,1% em maio. Em uma base mensal, o CPI subiu 0,8% em junho de 2022, em comparação com um aumento de 0,5% em junho de 2021.

O aumento dos preços de combustíveis e alimentos foi o que mais contribuiu para a variação das taxas de inflação de 12 meses do CPIH e do IPC entre maio e junho de 2022.

Já a taxa anual do PPI – inflação no portão de fábrica – subiu para 24,0% no ano até junho de 2022. A taxa é positiva há 19 meses consecutivos.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.