Dólar rompe os R$5,42 e o índice dispara na NYSE

Turismo ficou com ganho de 0,48% aos R$5,627 para a venda

O dólar voltou a fazer pressão sobre o real e também nas demais emergentes. O mercado cambial estava analisando o teor da ata da última reunião do Federal Reserve. O documento, que foi divulgado no meio desta tarde, veio semelhante ao comunicado.

Na bolsa de Nova York, o índice DXY avançou, as moedas europeias caíram e o Bitcoin acompanhou o desempenho negativo.

Por aqui, no interbancário, o dólar fechou em alta de 0,60% aos R$5,422 para a venda. O turismo ficou com ganho de 0,48% aos R$5,627 para a venda.

“Ata do Fed sai com olhar retrovisor, já que o cenário mudou com o recuo das commodities, tanto de energia, metais e, principalmente, agrícolas. Esse recuo, influenciado pelo medo da recessão, deve tirar a pressão da inflação alta. Por isso, estamos vendo o dólar se fortalecer e as commodities perdendo valor, além da taxa de 10 anos americana ficando mais baixa. A ata não cita nem reflete essa virada da recessão, já que a reunião do banco central americano é daqui três semanas e antes do cenário se modificar. Como a ata reflete o passado, não houve impacto nas bolsas”, pontuou o CFA e fundador da Quantzed, Marcelo Oliveira.

O euro ficou em queda de 0,14% aos R$5,525 para a venda. A libra subiu 0,26% aos R$6,465 para a venda. O peso argentino subiu 0,47% a R$0,043 para a venda.

Cenário externo
Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes frente ao dólar americano, ficou em alta de 0,49% aos 107.06 pontos no eletrônico.

O ouro caiu 1,45% a US$1,738,30 a onça no eletrônico.

O euro ficou em queda de 0,79% a US$1,0183 e a libra caiu 0,29% a US$1,1919.

O Bitcoin caiu 1,32% a US$20,319,58.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.