Dólar flerta com os R$5,40; índice dispara em Nova York

Turismo ficou em alta de 1,36% aos R$5,575 para a venda

O dólar sustentou a pressão sobre o real nesta primeira sessão da semana. O investidor voltou em busca de segurança, já que os últimos indicadores dos Estados Unidos elevaram as discussões sobre uma decisão mais dura do Federal Reserve para conter a inflação.

Na bolsa de Nova York, o índice DXY subiu, as moedas da Europa caíram e o Bitcoin acompanhou.

No interbancário, o dólar fechou em alta de 1,96% aos R$5,371 para a venda. O turismo ficou em alta de 1,36% aos R$5,575 para a venda.

“O dia foi de forte queda para as principais bolsas globais. A inflação nos Estados Unidos, que através do Payroll sinalizou que será necessário o Fed elevar e manter os juros altos por mais tempo. Além, claro, do temor de novos lockdowns na China. Tudo isso trouxe hoje uma aversão aos investidores que, na dúvida, prefeririam reduzir posições e o risco de carteiras. O dólar em R$ 5,37 mostra que estamos acelerando o cenário de deterioração econômica, e que pode ser também uma prévia da crise que se avizinha”, pontuou o sócio e chefe da mesa de operações de renda variável da Ação Brasil, Idean Alves, para o 1Bilhão.

O euro subiu 0,63% aos R$5,397 para a venda. A libra subiu 1,17% aos R$6,389 para a venda. O peso argentino subiu 1,19% a R$0,042 para a venda.

Cenário externo
Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes frente ao dólar americano, ficou em alta de 1,11% aos 108.19 pontos.

O ouro caiu 0,61% a US$1,731,60 a onça no eletrônico.

O euro recuou 1,36% a US$1,0044 e a libra perdeu 1,15% a US$1,1890.

O Bitcoin caiu 2,32% a US$20,461,21.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.