Dia de liquidações nos mercados da Ásia

Apenas o Xangai ficou em alta de 1,06% aos 3.035

Os investidores da Ásia mantiveram as liquidações nesta terça-feira. A  cautela permanece com a escalada inflacionária global e os riscos para o crescimento econômico. A China segue no foco central com a onda de Covid-19.

Índices Asiáticos:

O índice Xangai ficou em alta de 1,06% aos 3.035 e o Shenzhen Composite ficou em alta de 1,53% a 1.894. O FTSE Straits, bolsa de Singapura, ficou em queda de 1,25% aos 3.234. O Kospi, bolsa de Seul, ficou em queda de 0,55% aos 2.596. O Sensex, bolsa de Mumbai, ficou em queda de 0,19% aos 54.364. O Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,58% e o Topix ficou em queda de 0,85% aos 1.862. O Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em alta de 0,08% aos 16.061. O Hang Seng, bolsa de Hong Kong, ficou em queda de 1,84% aos 19.633.

O índice regional de ações, MSCI Asia Pacific, fora o Japão, caiu 1,10%.

Como nos demais mercados, as ações das gigantes de tecnologia amargaram perdas nos mercados asiáticos. O susto ficou com a queda de 4% do Nasdaq no dia anterior.

Entre os índices, a ligeira recuperação ocorreu na China, mesmo com a política de “tolerância zero” de Pequim contra a Covid-19.

Hoje, os contratos futuros do minério de ferro voltaram a cair. Os futuros de Dalian caíram 7% para US$112,71 a tonelada.

Diante desses movimentos, o Banco Popular da China sinaliza mais estímulos para manter o ritmo da segunda maior economia do mundo. A inflação e os preços também estão elevados, o que desperta ainda mais a atenção de Pequim.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de Trade 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.