Com a queda da taxa Selic e consequentemente redução do CDI, os investimentos em renda fixa estão ficando cada vez menos atrativos. Deixar o dinheiro parado na NuConta do Nubank, no CDB com liquidez diário do Banco Inter ou outro ativo que pague 100% do CDI, em breve, significará prejuízo, pois a inflação será mais alta. Vale a pena saber mais sobre Trade?

Não resta outra alternativa, a não ser o investidor migrar para a renda variável e começar a investir em ações. Porém, muitos que se aventuram e tratam os investimentos como um cassino acabam por quebrar e perder todo o dinheiro.

“É comum o ser humano achar que sabe mais do que realmente sabe. Muitos acreditam terem encontrado a fórmula correta para ganhar todos os dias no home broker e muitas vezes por um determinado período até funciona. Porém, no longo prazo, a maioria que compra e vende ações no mesmo dia perde dinheiro”, explica Fabrizio Gueratto, Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira.

Se o investidor não quiser investir através de um Fundo de Investimento em Ações (FIA), basicamente ele tem 3 opções:

Day Trade:

É quando uma operação de compra e venda de ações é realizada no mesmo dia, ou seja, através do sistema de Home Broker de uma corretora de valores, em que qualquer pessoa através de um computador ou dispositivo móvel consegue negociar ativos na B3, a bolsa de valores brasileira.

Por exemplo, o João comprou hoje 100 ações da Petrobras as 11h da manhã e vendeu no mesmo dia as 100 ações. Ele realizou uma operação Day Trade. É um tipo de negócio que pode ter alta expectativa de retorno, porém, o alto risco é sempre acompanhado na mesma proporção e, por isso, a maioria no médio e longo prazo perde dinheiro.

Além disso, o imposto de renda cobrado pela receita federal para este tipo de operação é de 20% sobre o lucro, sendo que, deste total, 1% é retido na fonte pela própria corretora de valores. O restante (19%) deve ser pago através de uma Darf.

Fora o IR, a corretora ainda pode cobrar uma taxa de corretagem e a B3 cobra emolumentos, que varia conforme o volume negociado e taxa de registro para contratos futuros. Como se não bastasse tudo isso, ainda tem o imposto municipal, que é o ISS e varia entre 2% e 5% sobre a taxa de corretagem.

Por todos estes custos é que, se o valor negociado for menor do que R$ 20 mil, dificilmente este investidor conseguirá ter algum lucro. Se este investidor quiser uma plataforma de negociação (software) mais eficiente, também precisará desembolsar um valor mensal.

As operações de Day Trade exigem muita experiência no mercado, grande disciplina, principalmente para respeitar os Stops, comando em que o investidor define qual o limite de ganho e perda que ele está disposto a suportar.

“O investidor novato dificilmente coloca a razão na frente da emoção e se desespera em momento de fortes oscilações ou tenta recuperar desesperadamente uma perda. Além disso, é preciso acompanhar o mercado financeiro em tempo real e durante o dia todo”, ressalta.

Swing Trade:

 Assim como o Day Trade, também é uma operação especulativa, porém, o investidor permanece com aquela ação por dias ou semanas. Mesmo assim exige uma atenção diária para conseguir a melhor oportunidade de compra e venda, porém, o investidor consegue conciliar com outra profissão, pois não exige uma atenção em 100% do tempo.

Neste caso, o imposto de renda é de 15%, caso no momento da venda o valor supere R$ 20 mil durante o mês. Ainda temos o imposto municipal, que é o ISS e mais 0,005 sobre as vendas das ações todas as vezes que ultrapassar R$ 20 mil no mês. Este tipo de operação oferece menos riscos do que o Day Trade, pois permite maior tempo para a tomada de decisão. Por exemplo, a Maria acredita que os EUA comprará um grande lote de aviões da Embraer.

Por isso, ela compra um lote de 100 ações da Embraer pelo preço de R$ 100,00 cada ação, ou seja, investiu R$ 10 mil. Imagine que uma semana depois realmente este negócio se concretize e a ação se valorize 10%, ou seja, ela passe a valer R$ 110,00 cada uma.

Como foi comprado um lote de 100 ações, o lucro será de R$ 1 mil. Entretanto, esta investidora também precisa colocar um Stop. Caso o valor caia XX% imediatamente ela venderá. No mercado financeiro isso é chamado de Stop Loss.

Buy and Hold ou Position Trade:

É uma estratégia de investimento de longo prazo, em que um investidor pode manter uma ação de uma empresa  por anos ou décadas em sua carteira de investimentos.

Traduzindo para o português é comprar e segurar. É o tipo de operação financeira muito menos especulativa do que o day trade e o swing trade. Basicamente o investidor acredita tanto nos produtos e serviços de uma empresa que, mesmo durante as crises e queda da ação, ele tem convicção de que no longo prazo terá valorização.

Esta estratégia é indicada para investidores que não acompanham diariamente o mercado ou não possuem um conhecimento razoável do mercado de ações. O maior investidor do mundo, Warren Buffet é adepto do buy and hold.

Outra vantagem está em relação aos dividendos, que é a distribuição de lucros da empresa para seus acionistas e pode ocorrer mensalmente, a cada trimestre ou semestralmente.

Detalhe importante é que os dividendos são isentos de imposto de renda para os investidores. Em relação as taxa e impostos, no buy and hold o investidor paga 15% sobre o lucro, caso venda mais de R$ 20 mil durante o mês. Se o valor for menor que este, ele fica isento.

Além disso, existe e taxa de corretagem e custódia, que algumas corretoras cobram e outras não e o ISS, imposto municipal que varia entre 2% e 5%. Não, não são apenas estes impostos e taxas. Ainda tem os emolumentos cobrados pela B3.

Leia também: “TRADER: Quais ERROS ao comprar e vender AÇÕES no mesmo dia?”

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: