Preço da gasolina recua 5,46% depois da redução do ICMS

Todos os Estados brasileiros registraram recuo no preço da gasolina e do etanol

Os dados do Índice de Preços Ticket Log (IPTL) apontam que, após a redução da alíquota do ICMS, o preço do litro da gasolina apresentou recuo de 5,46% nas bombas de abastecimento do País, em relação à média do fechamento de junho. Nos primeiros dias de julho, o combustível teve o litro comercializado ao valor médio de R$ 7,15. Já o etanol, também ficou mais barato para os motoristas brasileiros e, com recuo de 4,39%, o preço médio do litro do combustível se apresenta neste início do mês a R$ 5,74.

Todas as regiões apresentaram queda no valor da gasolina, e a mais expressiva foi registrada no Centro-Oeste (9,42%), onde o combustível passou a custar R$ 6,82. Porém, o menor preço médio para a gasolina foi identificado na Região Sul, a R$ 6,68, com redução de 7,11%.

Assim como para a gasolina, o Centro-Oeste apresentou a maior redução no preço do etanol (8,82%), comercializado a R$ 4,95. A região também registrou a menor média do País para o combustível.

“O IPTL identificou que todos os Estados brasileiros registraram recuos no preço da gasolina neste início de mês, que variaram de 1,91%, a exemplo da Paraíba, e chegaram a 14,24%, como é o caso de Goiás”, destaca Douglas Pina, Diretor-Geral de Mainstream da Divisão de Frota e Mobilidade da Edenred Brasil.

São Paulo é o Estado com a gasolina mais barata de todo o território nacional, comercializada a R$ 6,36, com baixa de 8,99% no preço após a redução do imposto. A média mais alta continua sendo a do Piauí (R$ 7,82).

A redução mais expressiva para o etanol foi identificada nos postos de abastecimento do Mato Grosso (10,72%), que passou de R$ 5,03 para R$ 4,49. Contudo, assim como para a gasolina, a média mais baixa para o etanol foi encontrada nos postos paulistas a R$ 4,36; e o preço mais alto do litro foi registrado no Pará a R$ 6,74.

“Bem como no fechamento de junho, o etanol continua sendo a opção mais vantajosa apenas para os motoristas de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e agora para os do Piauí e do Paraná também”, conclui Pina.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.