PIB dos EUA cai 0,9% no 2T22 e fica em US$ 465,1 bilhões

Alta em dólares foi de 7,8%

O Produto Interno Bruto (PIB) real caiu 0,9% no segundo trimestre de 2022, conforme mostrou hoje o Departamento de Análises Econômicas. No trimestre anterior, o número ficou em 1,6%.

O PIB atual em dólares aumentou 7,8% a uma taxa anual, ou US$ 465,1 bilhões, no segundo trimestre, para um nível de US$ 24,85 trilhões. No primeiro trimestre, o PIB aumentou 6,6%, ou US$ 383,9 bilhões.

O índice de preços das compras internas brutas subiu 8,2% no 2T22, em comparação com a alta de 8,0% no primeiro. O índice de preços PCE subiu 7,1%, a mesma taxa do primeiro trimestre. Excluindo os preços dos alimentos e energia, o índice de preços PCE aumentou 4,4%, em comparação com a alta de 5,2%.

“A queda no PIB real refletiu na queda do estoque do investimento privado, investimento fixo residencial, gastos do governo federal, gastos dos governos estaduais e municipais e investimento fixo não residencial que foram parcialmente compensados ​​por aumentos nas exportações e despesas de consumo pessoal (PCE). As importações, que são uma subtração no cálculo do PIB, aumentaram”, mostrou o relatório.

A queda do investimento privado foi liderada por uma diminuição no comércio a varejo (principalmente lojas de mercadorias em geral, bem como revendedores de veículos automóveis). A queda do investimento fixo residencial foi liderada pela redução de “outras” estruturas (nomeadamente comissões de corretores).

A redução nos gastos do Governo Federal refletiu a queda nos gastos não relacionados à defesa, que foi parcialmente compensada por uma subida nos gastos com defesa. Além disso, a queda de despesas não relacionadas com a defesa refletiu a venda de petróleo bruto da Reserva Estratégica de Petróleo, o que resulta numa redução correspondente nas despesas de consumo. Como o petróleo vendido pelo governo entra em estoques privados, não há efeito líquido direto no PIB.

A redução menor do PIB no 2T22 refletiu nas exportações e uma queda menor nos gastos do governo federal, que foram parcialmente compensados ​​por maiores quedas no investimento privado em estoque e nos gastos dos governos estaduais e municipais, uma desaceleração no PCE e quedas no investimento fixo não residencial e no investimento fixo residencial. As importações desaceleraram.

Renda Pessoal

A renda pessoal em dólares atuais aumentou US$ 353,8 bilhões no segundo trimestre, em comparação com um aumento de US$ 247,2 bilhões no primeiro trimestre. O avanço refletiu, principalmente, em alta de remuneração (liderada por salários e vencimentos privados), renda dos proprietários (tanto não agrícola quanto agrícola), receitas de renda pessoal sobre ativos e renda de aluguel.

A renda pessoal disponível aumentou US$ 291,4 bilhões, ou 6,6%, no 2T22, em contraste com uma queda de US$ 58,8 bilhões, ou 1,3%, no primeiro.

O rendimento pessoal disponível real caiu 0,5%, em comparação com um decréscimo de 7,8%.

A economia pessoal foi de US$ 968,4 bilhões no período, em comparação com US$ 1,02 trilhão no primeiro trimestre.

A taxa de poupança pessoal – poupança pessoal como porcentagem da renda pessoal disponível – foi de 5,2% no segundo trimestre, em comparação com 5,6% no primeiro trimestre.

*Tradução ID

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.