Lucro da Neoenergia fica em R$1,1 bi no 2T22

EBITDA foi de R$ 3,2 bilhões

A Neoenergia (NEOE3) divulgou, nesta terça-feira (26), os resultados financeiros e operacionais do segundo trimestre de 2022 e o consolidado do primeiro semestre do ano.

O lucro foi de R$ 1,1 bilhão no trimestre, e de R$ 2,3 bilhões no semestre, com alta de 7% e de 14%, respectivamente, em relação aos mesmos períodos de 2021.

No trimestre, o EBITDA foi de R$ 3,2 bilhões, e de R$ 6,4 bilhões no primeiro semestre, sendo 40% acima na comparação com cada um dos períodos em 2021. O EBITDA Caixa cresceu 32% no trimestre, atingindo R$ 2,3 bilhões; e no acumulado do ano teve variação positiva de 45% com R$ 4,7 bilhões.

“Nossa trajetória vem sendo construída com uma sólida disciplina financeira, investimentos em inovação e desenvolvimento sustentável. No segundo trimestre deste ano, conseguimos manter o crescimento abaixo da inflação. A performance também está apoiada em nossa atuação nas áreas de concessão e rentabilidade dos nossos projetos”, afirma Eduardo Capelastegui, CEO da Neoenergia.

O executivo acrescenta que a ampliação dos investimentos foi mantida, com foco na expansão do portfólio de geração de energia renovável e de redes. O Capex no primeiro semestre de 2022 foi 30% maior do que o registrado entre janeiro e junho de 2021, atingindo R$ 4,6 bilhões.

Renováveis

Em Renováveis, os resultados foram impulsionados pela entrada em operação, no segundo semestre de 2021, de Neoenergia Chafariz, complexo eólico na Paraíba com capacidade instalada de 471 MW. A geração de energia eólica apresentou um crescimento de 123,77% no segundo trimestre de 2022, em relação a igual período do ano passado, chegando a 917 GWh. Hoje, a companhia possui 32 parques em operação com capacidade instalada total de 987MW.

A Neoenergia investiu R$ 693,4 milhões nos parques eólicos no primeiro semestre de 2022, com destaque para os avanços na construção de Neoenergia Oitis, complexo localizado entre o Piauí e a Bahia que será o maior da companhia no segmento, com capacidade instalada de 566,5 MW. Em junho deste ano, Neoenergia Oitis entrou na fase de operação em teste, com antecipação de um mês em relação ao plano de negócios. Atualmente, o parque eólico está com 126MW em operação comercial e em teste.

Os investimentos realizados em Neoenergia Luzia, complexo solar na Paraíba, somaram R$ 436,4 milhões nos primeiros seis meses de 2022. O empreendimento marca a estreia da companhia na geração fotovoltaica centralizada. As usinas solares somam, ao todo, capacidade instalada de 149MWp, totalmente destinada ao Ambiente de Contratação Livre (ACL), sendo toda a energia já comercializada até 2026.

No segundo trimestre, iniciou-se a geração do Neoenergia Luzia na forma de operação em teste, e a partir de julho teve início a operação comercial de parte do complexo. O começo da operação está em linha com o plano de negócios e a entrada completa em operação comercial se dará ao longo do segundo semestre de 2022.

Redes

Em Redes, a Neoenergia destinou nos primeiros seis meses do ano investimentos de R$ 2,5 bilhões para as cinco distribuidoras — Neoenergia Coelba (BA), Neoenergia Pernambuco (PE), Neoenergia Cosern (RN), Neoenergia Elektro (SP e MS) e Neoenergia Brasília (DF). Desse total, R$ 1,5 bilhão foi alocado na expansão de redes.

As concessionárias encerraram o segundo trimestre com 15,9 milhões de consumidores ativos, um aumento de 309 mil em comparação com o mesmo período do ano passado. A energia injetada foi de 18.822 GWh no trimestre (+0,8% vs. 2T21), resultado puxado pela Neoenergia Coelba e Neoenergia Elektro.

Liberalizados
Em negócios liberalizados, o lucro líquido aumentou 120% em comparação com o primeiro semestre de 2021, e alcançou R$ 357 milhões. O EBITDA foi de R$ 519 milhões, 109% maior do que o registrado entre janeiro e junho do ano passado. A Neoenergia segue atenta para antecipar as necessidades do futuro e do mercado livre.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.