IPC-S varia 0,24% na 2ª semana de julho em sete capitais

Acumulado de 12 meses foi de alta de 9,57%

O IPC-S da segunda quadrissemana de julho de 2022 variou 0,24% e acumula alta de 9,57% nos últimos 12 meses. Todas as sete capitais pesquisadas registraram decréscimo em suas taxas de variação. Os dados são da FGV/Ibre e foram apresentados nesta manhã.

As variações percentuais dos municípios de sete capitais componentes do índice:

Na cidade de Salvador, o índice saiu de 0,91% em 15 de junho para 0,19% na mesma data de julho. O acumulado é de alta de 9,20% nos últimos 12 meses. Sete das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Transportes e Comunicação, cujas taxas passaram de 3,26% para 0,32%, e de 0,39% para -0,98%, respectivamente.

Para Brasília, o índice ficou em 1,51% em 15 de julho, alta em relação ao 0,08% de 15 de junho. O acumulado é de alta de 10,90% nos últimos 12 meses. Seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Transportes e Saúde e Cuidados Pessoais, cujas taxas passaram de -0,58% para -2,21%, e de 0,53% para 0,18%, respectivamente.

A capital mineira viu o índice ficando em 0,36% na primeira quinzena de julho, ante a alta de 0,96% de 15 de junho. O acumulado é de alta de 9,62% nos últimos 12 meses. Nesta edição, cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Transportes e Educação, Leitura e Recreação, cujas taxas passaram de -0,32% para -1,71%, e de 3,28% para 2,10%, respectivamente.

No Recife, o IPC-S ficou em 0,14% até o dia 15 de julho, ante a alta de 1,71% da mesma data de junho. O acumulado é de alta de 11,75% nos últimos 12 meses. Cinco das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Educação, Leitura e Recreação e Transportes, cujas taxas passaram de 0,57% para -1,34%, e de 1,15% para -0,14%, respectivamente,

No Rio de Janeiro, o índice ficou em queda de 0,45%, depois da alta de 1,06% de junho. No acumulado, a alta foi de 8,49% nos últimos 12 meses. Quatro das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Educação, Leitura e Recreação e Transportes, cujas taxas passaram de -5,77% para -8,58%, e de 0,03% para -0,62%, respectivamente.

A capital gaúcha viu o indicador caindo da alta de 0,45% em 15 de julho, depois da alta de 1,04% em 15 de junho. O acumulado é de alta de 10,35% nos últimos 12 meses. Sete das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Educação, Leitura e Recreação e Vestuário, cujas taxas passaram de 3,02% para 1,91%, e de 1,23% para 0,44%, respectivamente.

A cidade de São Paulo viu o IPC-S estável, sendo que em 15 de junho a alta era de 0,71%. No acumulado, a alta foi de 8,74% nos últimos 12 meses. Seis das oito classes de despesa componentes do índice apresentaram desaceleração em suas taxas de variação, entre as quais se destacam os grupos: Transportes e Educação, Leitura e Recreação, cujas taxas passaram de -0,63% para -1,84%, e de 0,61% para -0,02%, respectivamente.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.