FECHAMENTO: Bom humor e o Federal Reserve foi destaque

Ibovespa subiu 1,67% aos 101.437 pontos

O bom humor tomou conta do investidor com balanços financeiros, que ao mesmo tempo manteve a atenção no Federal Reserve.

Depois do comunicado do Comitê Federal de Mercado Aberto – Fomc, os radares ficaram voltados para as declarações do presidente do Fed, Jerome Powell, na coletiva de imprensa.

O tom da fala foi menos pesado, com o tema inflação no ponto principal, seguidos da guerra na Ucrânia, pressão da Rússia em cima da Europa e também a pandemia de coronavírus. Contudo, o presidente do banco central concordou que a maior economia do mundo está desacelerando, mas não em recessão.

Enquanto isso, os investidores também acompanhavam os balanços financeiros das grandes empresas de tecnologia dos Estados Unidos. Números da Microsoft, Alphabet (pai do Google) e as expectativas para o resultado da Meta Inc. (ex- Facebook) ajudaram na alta de mais de 4% do Nasdaq.

Diante desses fatores, a bolsa de Nova York fechou em alta. Os índices europeus subiram, na sequência dos asiáticos. No cenário doméstico, a bolsa brasileira seguiu os pares.

O dólar perdeu força.

Acompanhe o resumo dos mercados

Ásia: o Xangai ficou estável aos 3.275 e o Shenzhen Composite ficou em alta de 0,33% aos 2.194.

Europa: o FTSE MIB, bolsa de Milão, subiu 1,52% aos 21.480 pontos. O Ibex 35, bolsa de Madri, subiu 0,68% aos 8.124 pontos.

Estados Unidos: o Dow Jones fechou em alta de 1,37% aos 32.197 pontos. O S&P ficou em alta de 2,62% aos 4.023 pontos. O Nasdaq subiu 4,06% aos 12.032 pontos.

Brasil: o Ibovespa subiu 1,67% aos 101.437 pontos.

Moedas: o dólar fechou em queda de 1,84% aos R$5,251 para a venda. O turismo ficou em queda de 1,35% aos R$5,458 para a venda.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.