Aeris (AERI3): forte crescimento de receita contra fraco desempenho de margem, avalia XP

A XP Investimentos analisou o ativo Aeris (AERI3) em seu portfólio, principalmente por conta do lucro líquido reportado na terça-feira, e manteve recomendação de compra com preço-alvo em R$ 15 por ação, conforme relatório encaminhado ao mercado.

De acordo com o documento, a Aeris reportou resultados do quarto trimestre mais fracos do que o esperado, com lucro líquido ajustado (excluindo o impacto de perdas cambiais não recorrentes e sem efeito caixa) 33% e 42% abaixo das estimativas da gestora.

“O principal destaque negativo foi atribuído à contração de margem EBITDA em ~14p.p. A/A e ~3p.p. abaixo de nossas expectativas”, destacou.

E disse mais: “apesar do forte desempenho de receita (+166% A/A) confirmando o perfil de alto crescimento da Aeris, destacamos que o lucro líquido foi pressionado por  níveis de eficiência abaixo do ideal, devido a linhas de produção recém-implementadas e a descontinuidade de cinco linhas maduras (margem EBITDA -14p.p. A/A, reportada em 7,0%;, além de perdas cambiais não recorrentes (e sem efeito caixa) que afetaram negativamente os resultados financeiros.”

“Apoiada por sólidas expectativas de crescimento à medida que a energia eólica continue ganhando relevância na matriz energética global, reforçamos nossa visão positiva de longo prazo para a empresa”, concluiu.

Aeris (AERI3) anuncia emissão de R$600 mi em debêntures

4TRI20

A Aeris (AERI3) registrou queda de 61% no lucro líquido do quarto trimestre de 2020 ante o mesmo período de 2019, conforme documento encaminhado ao mercado na terça-feira (9).

De acordo com a empresa, o lucro líquido foi de R$ 15,6 milhões, enquanto a receita operacional líquida disparou 166%, para R$ 749 milhões.

Já o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), que mede o resultado operacional, caiu 13%, somando R$ 52 milhões.

No ano de 2020, o lucro atingiu R$ 113,2 milhões, aumento de 27,6% quando comparado a 2019. A receita líquida mais que dobrou no último ano, encerrando 2020 em R$ 2,2 bilhões.

O Ebitda, por sua vez, aumentou em mais de 45% na comparação anual, atingindo R$ 243 milhões, com margem Ebitda de 11%.

No último ano, a exportação representou 35% da receita líquida, e houve a inclusão de novos mercados na América Latina e Austrália.

Investimentos

Ainda segundo a empresa, os investimentos somaram cerca de R$ 300 milhões. Este montante foi destinado à expansão da produção, incluindo a aquisição da Planta Pecém II, que já opera a plena capacidade, e para preparar a companhia para atender aos volumes de pedidos já contratados para 2021 e 2022.

Em 2020, o retorno sobre o capital investido (ROIC, na sigla em inglês) foi mantido acima de 20%. Já a alavancagem líquida caiu para 1,8x ao final de dezembro do ano passado.

Do ponto de vista operacional, em 2020, a Aeris Energy produziu pás suficientes para equipar aerogeradores que totalizam 3,5 GW de potência, dos quais 2 GW foram e ainda serão destinados a parques eólicos instalados no Brasil.

CEO da Aeris Energy, Alexandre Negrão disse que foi um ano desafiador em razão da pandemia de Covid-19, mas a companhia encontrou boas oportunidades. “Seguimos muito entusiasmados com toda a perspectiva favorável para o setor de energias renováveis, em especial, a energia eólica, segmento em que estamos inseridos. O avanço da pauta ESG nos mercados nacional e internacional, assim como o crescimento do mercado de energia livre no Brasil – que tem demandado cada vez mais a construção de usinas eólicas no mercado interno-, pode nos favorecer”, disse.

Veja AERI3 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais