Ficou assustado com a queda do Bitcoin?

Peso da inflação e medidas do Federal Reserve mexeram com as moedas

A queda livre no valor do Bitcoin assustou os investidores de criptoativos nesta segunda-feira. É que depois do recorde de inflação dos Estados Unidos, o país vem buscando estratégias para conter o avanço desse índice.

O principal interessado em conter o desajuste inflacionário é o Federal Reserve, que não está medindo esforços. Para isso, uma das saídas encontradas pelo Fed foi o aumento da taxa de juros, o que fez as criptomoedas subirem, ficarem ainda mais valorizadas e trazendo otimismo para esse mercado. Porém, nesta segunda-feira, o Fed de Nova York fez projeções de mais altas na inflação. Daqui a três anos, o indicador deverá passar de 3,7% para 3,9% e em um ano caindo de 6,6% para 6,3%.

Ainda em 2022 são esperados novos aumentos de taxas de juros, o que pode fazer com que muitos investidores fujam de apostar em ativos de riscos e tentem se aprofundar em moedas digitais como as criptomoedas, que são consideradas de alto potencial no mundo digital.

Para Andrey Nousi, CFA e fundador da Nousi Finance, o cenário pede cautela para todos os ativos de risco e tudo que é relacionado a investimentos.

“Hoje não foi um fato isolado somente em criptos. Vimos a bolsa americana caindo, Ibovespa caindo, criptos caindo, bolsas europeias caindo. Vimos o aumento da correlação entre os ativos justamente por conta de um mau humor, uma preocupação que vemos nos mercados, e de que possivelmente uma recessão poderia estar chegando nos Estados Unidos. E como é que se comportaria o mercado que tem uma alta alavancagem? Fatalmente isso impacta nas criptos, nada fica isolado e demonstra que cada vez mais os ativos ficam relacionados ao mercado por conta de uma maior adoção”, afirma Nousi.

Além desse momento de instabilidade, o Fed vem sendo muito criticado diante de sua postura com a atual inflação americana.

“Existia a hipótese que o Fed iria aumentar 0,75% a taxa, porque a inflação está “bombando” por lá e o banco central está sendo muito criticado por ter demorado muito, sido meio que ineficiente para conter a inflação”, afirma o especialista, economista e fundador da Cripto Mestre, Felipe Veloso.

De acordo com Veloso, o mercado estava esperando uma taxa maior e veio uma taxa menor, o que causou uma grande empolgação no mercado. “Dando alívio de curto prazo e não mudará já que estamos em um ano de sangria, e o Fed vai continuar subindo a taxa de juros durante todo esse ano”, explica Veloso.

O fundador da Nousi Finance alerta para o número da inflação nos Estados Unidos e seu pico.

“Se começarmos a ver o número de inflação que atingiu talvez o pico máximo pro mês de abril, poderíamos prever a reversão desse cenário, caso contrário a tendência é que as coisas continuem a ficar mais complicadas diante um cenário que o Fed precisa ser mais agressivo com o aumento das taxas de juros e consequentemente os ativos de riscos que sofrem”, explica.

Por fim, o especialista Felipe Veloso explica ainda que a movimentação traz alívio no curto prazo. “O Fed vai continuar tirando dinheiro de circulação, vai parar o famoso ‘dinheiro fácil’ e vai continuar subindo a taxa de juros, inclusive o mercado espera que ele suba em todas as reuniões que tiverem do Fed durante esse ano”, conclui.

Em Nova York, o Bitcoin caiu 10% aos US$31,122,79.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de Trade 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.