WEG (WEGE3) e Omega (MEGA3) no resumo da Guide

Afluência no mês de junho pesa na produção de energia

Com o pontapé inicial da temporada de resultados financeiros de empresas brasileiras pela Weg (WEGE3), as casas de análises estão preparadas para considerar os devidos números.

Hoje, a Guide Investimentos analisou o desempenho da WEGE3 e também o relatório de produção mensal de energia da Omega (MEGA3).

Acompanhe as análises:

Weg (WEGE3)

A Weg reportou seus números referentes ao 2T22 com receita crescente que totalizou quase R$ 7,2 bilhões, alta de 5,2% a/a e 25% t/t, justificado pelo bom desempenho dos negócios de motores elétricos de baixa tensão, automação e especialmente os negócios relacionados a geração de energia renovável e transmissão & distribuição de energia. O mercado externo continuou a apresentar importante demanda por produtos industriais, com crescimento importante em moedas locais em relação ao mesmo período do ano anterior.

Os aumentos nos custos das principais matérias-primas que compõem os custos, notadamente o aço e o cobre, em conjunto com a alteração no mix de produtos e o aumento dos custos com energia e frete, foram os principais fatores que contribuíram para a redução das margens operacionais em relação ao 2T21. Já as despesas gerais e administrativas somaram R$ 721,1 milhões no 2T22, um aumento de 13,2% sobre o 2T21 e um aumento de 4,1% sobre o 1T22.

O Ebitda excluindo créditos tributários apresentou um crescimento de 14,5% quando comparado com mesmo período do ano anterior, com uma margem Ebitda 1,6 ponto percentual menor. Ao incluir os créditos tributários, o Ebitda somou R$ 1,25 bilhões.

O lucro líquido atingiu R$ 913,0 milhões, ligeiramente acima do esperado, com queda de 19,5% em relação ao 2T21 e queda de 3,3% em relação ao 1T22. A margem líquida atingiu 12,7%, 7,0 pontos percentuais inferior ao 2T21 e 1,1 ponto percentual inferior ao 1T22.

O ROIC do 2T22, acumulado nos últimos 12 meses, atingiu 26,9%, uma redução de 5,3 pontos percentuais em relação ao 2T21. O crescimento do capital empregado, explicado principalmente pela maior necessidade de capital de giro e maior CAPEX foi o principal fator para a redução do ROIC, apesar do crescimento do Lucro Operacional após os Impostos.

“Marginalmente negativo. Apesar da queda das margens da Weg, vemos os números bastante resiliente tendo em vista o cenário de custos mais elevados e incertezas com o futuro mais alta. Destacamos positivamente a forte demanda por equipamentos eletrônicos tanto no mercado interno como externo. Dito isso, seguimos com recomendação de compra para a empresa, que deve voltar a reportar números crescentes e margens melhores nos próximos trimestres, conforme os custos arrefeçam”, disseram.

Omega (MEGA3)

A Omega publicou o seu relatório de acompanhamento mensal de produção, com queda trimestral (2T22 vs. 2T21) de 17% na produção de energia, causada pela baixa incidência de recursos (abaixo da média histórica) e em linha com a sazonalidade já esperada pela empresa, que não alterou o seu guidance de produção de energia para 2022, esperando um aumento na incidência e menor volatilidade dos recursos.

O mês de junho foi marcado por uma geração abaixo das médias históricas, sendo destaque negativo a queda de 7% na produção no Complexo SE/CO e, como positivo, o crescimento de 27% na produção do Complexo Delta, localizado entre os estados do Piauí e Maranhão. No consolidado, a produção mensal teve um aumento de 7%, para 439 GWh.

“Positivo. Apesar da queda trimestral, vemos a produção em linha com as expectativas da empresa, que vê uma melhora da produção nos próximos trimestres. Mesmo com uma parada planejada no Complexo Assuruá em junho, a companhia ainda conseguiu entregar um aumento mensal da produção.”

Desempenho dos papéis às 13h00 na B3

A WEGE3 estava em queda de 3,41% e a MEGA3 estava em alta de 2,14%.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.