BTG (BPAC11) inova com ETF Debêntures

Carteira do índice é composta com 90 ativos de 61 emissores

O BTG Pactual (BPAC11) está disponibilizando o ETF Debêntures DI (DEBB11), primeiro ETF de crédito privado do Brasil. O ativo  foi desenvolvido em parceria com a Teva Indices, empresa especializada na criação de índices para ETFs, e replica o índice Teva Debêntures DI, carteira teórica de debêntures emitidas por companhias abertas e que já possuem liquidez no mercado.

Para formar o índice, são consideradas debêntures com emissão igual ou superior a R$ 300 milhões, volume mensal de negociação no valor mínimo de R$ 10 milhões e que tenham pelo menos 40% de presença em dias de negociação. Uma vez adicionados, os ativos permanecem no mínimo um ano na composição do índice, salvo em casos de eventos de crédito.

“O ETF DEBB11 é um produto inovador, em um mercado com forte tendência de expansão, que permite ao investidor ter exposição ao mercado de crédito privado brasileiro por meio de um instrumento que alia baixo risco de crédito, diversificação e liquidez em bolsa. Este é mais um produto que permite ao investidor diversificar sua carteira de investimentos de forma simples, rápida e transparente”, afirma Eduardo Arraes, Sócio e Head de Crédito Privado da BTG Pactual Asset Management.

A carteira do índice é composta atualmente com 90 ativos de 61 emissores e é rebalanceada mensalmente, de acordo com a metodologia do índice proprietário da TEVA, para refletir da melhor maneira possível as mudanças de mercado no portfólio que é oferecido ao investidor. Para acessar o ETF DEBB11, o investidor pode comprar cotas na B3 via a plataforma ou home broker de sua preferência. Na data de listagem, a cota inicial do fundo começou a ser negociada a R$ 10, com um lote mínimo de 1 cota.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.