Assaí (ASAI3) está na Carteira de Julho da Guide

Petrobras (PETR4) foi mantida na Carteira de Julho

A Carteira Valor, Guide Investimentos, encerrou junho no terreno negativo, abaixo do seu índice de referência Ibovespa. O papel que apresentou a melhor performance no mês foi Energias do Brasil (ENBR3). Por outro lado, os papéis que mais se depreciaram foram os da Movida (MOVI3) e Gerdau (GGBR4).

“Para julho, o ambiente macroeconômico global mais desfavorável, com o aperto das condições financeiras resultante do aumento ou sinalização de aumento das taxas de juros nas economias desenvolvidas fez com que o Ibovespa registrasse perdas ao longo do mês de junho. Além disso, em âmbito local, a decisão do Copom e o risco político-fiscal retornou ao radar dos investidores o também contribuiu com um aumento do dólar e abertura da curva de juros”, destacou o responsável pela Carteira da Guide Investimentos, Rodrigo Crespi.

Saíram: Banco do Brasil (BBAS3), Energias do Brasil (ENBRE3), Gerdau (GGBR4) e Movida (MOVI3).  Entraram: Assaí (ASAI3), BTG Pactual (BPAC11), Vale (VALE3) e WEG (WEGE3). A Petrobras (PETR4) foi mantida.

Carteira de Ações de Julho todos com peso em 20%

Assaí (ASAI3)

“No 1T22 foi reportado um resultado robusto e acima do esperado pelo mercado, com reversão da queda de SSS (-3,1%) observada no 4T21, reportando um crescimento de 6,7% no trimestre. A receita líquida totalizou R$ 11,4 bilhões, com um crescimento de +21,1% A/A, ficando em linha com o crescimento médio da companhia de 21% dos últimos três anos para o primeiro trimestre do ano, com um incremento de R$ 2,0 bilhões em relação ao mesmo período do ano anterior.”

BTG Pactual (BPAC11)

O banco apresenta uma posição relevante nos mercados em que atua, com destaque para os segmentos de Investment Banking, Asset e Wealth Management, atendendo tantos clientes brasileiros quanto clientes internacionais. Entre os riscos destacam-se o risco de crédito, tendo em vista que a receita do banco advém principalmente de empréstimos e um eventual aumento na inadimplência poderá afetar a rentabilidade do banco.”

Petrobras (PETR4)

“Esperamos a entrada em operação de novos poços a médio prazo, contribuindo para o aumento na produção. No curto prazo, alguns triggers: continuidade da venda de ativos não estratégicos; avanço do projeto de desinvestimento das refinarias; perspectiva de novos anúncios de dividendos. Em março a estatal anunciou uma nova descoberta de petróleo no pré-sal, em um bloco com a BP Energy do Brasil, encontrada na parte sul da Bacia de Campos, no bloco Alto de Cabo Frio Central, a 230 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro.”

Vale (VALE3)

“Em nossa visão, a Vale é uma das principais beneficiadas pelo aumento do preço do minério internacional e da alta do dólar em relação ao real, visto que é uma das principais empresas exportadoras do país e está entre as empresas mineradoras mais relevantes do mundo. Além disso, seus produtos possuem um desconto em relação ao minério internacional e na hipótese de paridade entre esses valores, a empresa conseguiria capitalizar ganhos relativamente maiores que seus concorrentes estrangeiros.”

WEG (WEGE3)

“Sustentamos nossa recomendação em WEG, dado seu perfil mais defensivo, e que ainda possui como principais destaques: a expansão contínua no cenário externo, através de acordos locais ou M&A; ganho contínuo de market share; retomada da economia brasileira;  posicionamento de liderança como fornecedor no segmento de GTD (Geração, Transmissão e Distribuição de Energia).”

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.