Americanas (AMER3) nas análises com prejuízo de 38,8%

Prejuízo líquido foi de R$ 137,3 milhões

A Americanas (AMER3) entrou no resumo corporativo da Guide Investimentos desta sexta-feira. Depois dos resultados do primeiro trimestre, a companhia justificou o desempenho pela boa performance da plataforma de negócios.

Acompanhe a análise e um resumo do balanço:

Americanas (AMER3):

Apesar do momento mais desafiador do cenário econômico, com alta das taxas de juros, inflação crescente, pressão em custos e queda na renda da população a Americanas foi capaz de reduzir o seu prejuízo em comparação ao mesmo período do ano passado.

O GMV da empresa foi de R$ 14,2 bilhões, um crescimento de 21,7% vs 1T21, justificado pela boa performance em todas as plataformas de negócios, com o físico crescendo 27% e o digital crescendo 20%, novamente acima da média do mercado, mesmo diante de uma base desafiadora (+89% no 1T21) e dos impactos do incidente de segurança ocorrido em fevereiro, de acordo com relatório trimestral.

A plataforma de eCommerce apresentou crescimento de 20,1% (1P: +24,3% e 3P: +16,9%), novamente acima da média dos nossos concorrentes, mesmo diante de uma base desafiadora (+89% no 1T21) e dos impactos do incidente de segurança ocorrido em fevereiro. Na plataforma física, o crescimento no conceito “mesmas lojas” foi de 10,3% no quadrimestre (4M22), como forma de eliminar o descasamento da Páscoa (efeito páscoa).

O EBITDA Ajustado atingiu R$ 659,7 milhões, maior EBITDA da história para o período, avançando 57,9% vs. 1T21. De acordo com a companhia, apesar do impacto negativo da inflação nas despesas, os ganhos com as sinergias da combinação de negócios, a monetização da Ame e as iniciativas de crescimento sustentável geraram uma evolução de 1,9 p.p na margem EBITDA vs 1T21, totalizando 9,8%.

O resultado líquido foi de prejuízo de R$ 137,3 milhões, uma redução de 38,8% em relação ao 1T21. Desconsiderando os efeitos não recorrentes do ágio da Local, no valor de R$ 100,9 milhões, o prejuízo líquido seria de R$ 238,2 milhões. A empresa apresentava uma posição de dívida líquida de R$ 1,6 bilhão.

“Positivo. A Americanas tem demonstrado sólida melhora operacional, reportando um Ebitda ajustado acima do esperado, sendo um recorde histórico para a companhia. Além disso, vemos as iniciativas digitais ganhando cada vez mais corpo e tornando-se alavancas para um ganho de eficiência ainda maior por meio de sinergia. Dito isso, apesar de vermos no médio-prazo a prorrogação de um cenário desafiador para o setor, AMER3 é dentre os players domésticos o que tem demonstrado ser dos mais resilientes, tendo ganho de market share e crescimento de Ebitda, apesar do incidente de segurança no período.”

você pode gostar também

Comentários estão fechados.