XP avalia produção da Aura Minerals

Forte desempenho da mina de Aranzazu

O resultado da produção da Aura Minerals foi um dos destaques do relatório Expert da XP. A equipe de analistas considerou a produção de ouro, que ficou abaixo do esperado e acabou representando na recomendação do papel  AURA33.

Aura Minerals (AURA33):

Ontem, a Aura reportou uma produção consolidada de 61 mil onças de ouro equivalente (kGEO), a queda de 9% na comparação anual e queda também de 22% trimestre contra  trimestre.

Destacamos o forte desempenho da mina de Aranzazu, de 30kGEO, alta de 1% t/t e alta de 14% a/a, na comparação utilizando preços constantes. Isso é resultado da maior produção de cobre, juntamente com preços mais baixos de cobre (comparado ao ouro), resultando em menor produção de onças equivalentes de ouro. O bom resultado se deve principalmente às melhores taxas de recuperação na planta.

Investir bem o seu dinheiro? É só clicar aqui

Em San Andrés, a produção atingiu 18kGEO, queda de 31% de trimestre a trimestre e queda de 13% ano a ano, depois de um recorde de produção no último trimestre.

O resultado mais suave é devido a teores mais baixos e taxas de recuperação mais baixas, apesar de a alimentação da planta ter aumentado 14% a/a.

Em EPP, a produção atingiu 12kGEO (-29% T/T). A estratégia de mineração de áreas de menor teor na caverna do Ernesto para preparar o acesso a áreas de maior teor deve afetar a produção durante o primeiro semestre de 2022;

“Vemos esses resultados como um pouco negativos, uma vez que esperávamos uma produção de 69kGEO, e a produção caiu 9% a/a. No entanto, se excluirmos a mina Gold Road da comparação, chegamos a uma queda menor de 2%”, escreveram os analistas.

A recomendação é NEUTRA ao preço-alvo de R$50.

você pode gostar também

Comentários estão fechados.