Prejuízo do Magazine Luiza (MGLU3) foi de R$98,8 milhões

Apesar do número o resultado ficou acima das projeções

O Magazine Luiza (MGLU3) viu o prejuízo líquido ajustado de R$98,8 milhões no primeiro trimestre de 2022. A companhia reverteu o lucro do mesmo trimestre do ano passado, R$81,5 milhões. No comunicado, a justificativa foi de gastos com despesas financeiras.

O crescimento das vendas, com destaque para o marketplace e o KaBuM!, em conjunto com o aumento da margem bruta, contribuíram para o EBITDA ajustado, que atingiu R$434,2 milhões no 1T22.

A margem bruta do Magalu atingiu 27,8% – aumento de 2,7 pontos percentuais em relação ao primeiro trimestre de 2021. A margem EBITDA ajustada ficou em 5% no período, com sinais de evolução. Em março, chegou a 6,1%.

“A evolução da margem é fruto da busca do equilíbrio entre crescimento e rentabilidade, sobretudo no setor de bens duráveis, no qual somos líderes”, diz Frederico Trajano, CEO do Magalu. “A empresa volta a um patamar de margens que só uma operação multicanal como a nossa consegue garantir.”

No primeiro trimestre do ano, as vendas totais da companhia – lojas e e-commerce – ultrapassaram R$14 bilhões, o que representa um crescimento de 84% da operação nos dois últimos anos. O e-commerce total – vendas de produtos de estoque próprio (1P) e dos sellers do marketplace (3P) – avançou 16% na comparação anual.

As vendas online atingiram R$10,2 bilhões, o que representou 72% das vendas totais do Magalu no período (em dois anos, o crescimento do e-commerce da companhia foi de 149%).

O marketplace continua a acelerar. As vendas dos 180 000 sellers presentes na plataforma somaram R$ 3,6 bilhões janeiro a março, um crescimento de 50% em comparação ao ano anterior. Com isso, o marketplace já corresponde  a 36% de tudo o que é vendido nos canais digitais do Magalu. Em dois anos, o 3P triplicou de tamanho.

Nos últimos 12 meses, 124 000 novos vendedores foram incorporados à plataforma.

O primeiro trimestre do ano também foi de boas notícias para as lojas físicas. As vendas das mais de 1 400 lojas atingiram quase R$4 bilhões e foram 6% superiores às registradas no mesmo trimestre do ano passado.

As lojas físicas estão cada vez mais a serviço do marketplace. Atualmente, mais de 14 mil sellers usam o modelo da Agência Magalu para o drop-off dos itens vendidos. Na outra ponta, 13% dos pedidos do marketplace já são retirados pelo cliente, por sua escolha, em uma das mais de 1.200 lojas habilitadas para o Retira Loja.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de trader

 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.