Peso argentino é alternativa?

Busca atingiu 566,7% em julho

A desvalorização do peso argentino ante o real fez disparar o interesse dos brasileiros pela moeda durante as férias de julho. Dados levantados pela B2Gether, empresa especializada em operações de câmbio, revelam que as buscas pela cotação do peso na internet cresceram 566,7% em comparação com o mesmo período do ano passado.

O levantamento foi realizado na plataforma Google Trends, ferramenta da empresa norte-americana que mostra os termos mais pesquisados pelos internautas em um determinado período.

Segundo os números, entre os dias 25 e 31 de julho de 2021, o interesse dos turistas brasileiros pela cotação do peso ficou na posição 15  posição. Já o volume aferido entre os dias 17 e 23 de julho deste ano atingiu a nota 100, o que significa que o termo “cotação peso argentino” alcançou um pico de popularidade, aumentando 85 pontos nos últimos 12 meses.

Para a CEO e sócio-fundadora da B2Gether, Janaina Assis, a desvalorização do peso em relação ao real e o grande desejo dos brasileiros em viajar são fatos importantes para o aumento do interesse na moeda do país vizinho.

“A Argentina vive momentos difíceis na economia e o mercado de câmbio deste país é muito complexo. Lá, existem agora 14 tipos de conversão da moeda e o câmbio paralelo é muito forte”, observa Janaina.

“Esses e outros fatores fiscais e orientadores da política econômica têm despencado o valor do peso frente a outras moedas, o que tem sido um motivo relevante para turistas que estão ávidos por viajar este ano, após um longo período de restrições na pandemia”, complementa a especialista, que atua há mais de 15 anos no mercado de câmbio.

Estados com mais interesse no peso argentino

De acordo com os dados reunidos pela B2Gether no Google Trends, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina, Distrito Federal e Mato Grosso do Sul são os estados brasileiros com maior número de pessoas interessadas na cotação do peso argentino nos últimos 12 meses.

São Paulo, o estado mais rico do País, ocupa a sexta posição do ranking, seguido por Rio de Janeiro, Minas Gerais, Mato Grosso e Pernambuco. Juntos, esses estados formam o top 10 das regiões com internautas que mais pesquisam o preço da moeda do país vizinho.

Há pouco, o peso argentino estava em queda de 3,23% aos R$0,41.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.