Modal (MODL11) vê o lucro em R$45,3 mi no1T22

Ativos sob Custódia totalizou R$39,3 bilhões e alta de 100,7%

O Banco Modal (MODL11) viu os resultados financeiros acima das projeções, com o lucro líquido ajustado totalizando R$ 45,3 milhões no primeiro trimestre de 2022, alta de 88,4% em relação ao 1T21e em linha com o 4T21.

Os Ativos sob Custódia (AuC) totalizaram R$39,3bilhões no 1T22, crescimento de 100,7% ano contra ano e de 14,6% trimestre contra trimestre. Destaque para o AuC Retail, que atingiu R$32,6bilhões no 1T22.

O crescimento de 19,0% AuC Retail no 1T22em relação ao 4T21 reflete a captação líquida de R$4,5 bilhões e o impacto positivo de R$0,7 bilhão em marcação à mercado.

Mesmo em um cenário de maiores incertezas no âmbito macroeconômico, o Modal continuou crescendo nossa base do AuC Retail por meio de novas captações, tanto via nossos canais diretos (B2C), quanto via nossos parceiros B2B.

A base de clientes ativos totalizou 587,6 mil clientes, uma expansão de 47,4% ano contra ano e de 1,2% trimestre contra trimestre. O menor ritmo de novas adições de clientes em relação ao 4T21 reflete o efeito sazonal do trimestre, além de uma conjuntura desafiadora, notadamente os efeitos de Covid no Brasil e o conflito entre Rússia e Ucrânia.

“Seguimos focados no fortalecimento de nossa governança e cultura, e principalmente, na adição de frentes estratégicas para fortalecer nosso Ecossistema de bem-estar financeiro. Construímos um modelo de negócios sustentável e resiliente à volatilidade do mercado, além de escalável para entrega de resultados crescentes. Agora, dando continuidade, seguimos o ano de 2022 focados na integração das operações recentemente adquiridas e na consequente captura de valor”, disse o CEO do Modal, Cristiano Ayres.

A Receita Bruta totalizou R$238,9 milhões no 1T22, crescimento de 80,2% ano contra ano e queda de 11,0% trimestre contra trimestre.

No 1T22, a Receita Líquida, isto é, a receita após o desconto dos impostos sobre faturamento de PIS, COFINS, ISS e IRRF (sobre debêntures incentivadas), totalizou R$222 milhões, alta 78,3% ano contra ano e queda de 13,4 % trimestre contra trimestre.

Mercado de Capitais

A receita de Mercado de Capitais totalizou R$56 milhões no 1T22, perto de 3,2xo montante do 1T21. O desempenho deste segmento reflete a manutenção do forte volume de operações de DCM (Debt Capital Markets), que se manteve praticamente estável em relação ao 4T21, com deal flow positivamente impactado pela contínua demanda dos clientes corporativos por fontes alternativas de financiamento de longo prazo, bem como pela contribuição das operações de M&A, que cumprem um papel anticíclico em momentos de maior instabilidade macroeconômica.

O índice de Basileia ficou em 17% ante os 20% do período anterior.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de Trade 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.