Lucro da Embraer (EMBR3) fica a R$372 mi

Receita liquida consolidada de R$ 5.044,0 milhões

A Embraer (EMBR3) anunciou o balanço financeiro, nesta quinta-feira, referente ao segundo trimestre de 2022.

A companhia apresentou lucro líquido ajustado (excluindo-se impostos diferidos e itens especiais) de R$ 199,8 milhões e lucro por ação ajustado de R$ 0,27. O lucro líquido atribuído aos acionistas da Embraer e lucro por ação de R$ 372,6 milhões e R$ 0,51, respectivamente, comparados a R$ 438,1 milhões em lucro líquido atribuído aos acionistas da Embraer e R$ 0,60 em lucro por ação ajustado no 2T21.

A receita liquida consolidada de R$ 5.044,0 milhões (US$ 1,018.9 milhões), no 2T22, representou redução de 14,8% na comparação com o ano anterior principalmente por menos entregas na Aviação Comercial, Defesa & Segurança e parcialmente compensada por maiores receitas em Serviços & Suporte.

A carteira de pedidos firmes (backlog) encerrou o 2T22 em US$ 17.8 bilhões (+US$ 0.5 bilhão comparado ao 1T22). Este é o maior nível pós-pandemia, impulsionado por um nível de pedidos consistente. O anúncio recente de 20 pedidos firmes de E195-E2 pela Porter será incluído no backlog do 3T22.

A margem bruta consolidada reportada no 2T22 foi de 22,9%, superior aos 18,2% reportado no 2T21, com melhoria na comparação com o ano anterior na maioria dos segmentos devido ao mix de produtos, aumento de preços e a performance operacional em geral, incluindo eficiências tributárias.

O EBIT e o EBITDA ajustados foram de R$ 409,2 milhões e de R$ 622,8 milhões, respectivamente, levando a margem EBIT ajustada de 8,1% e margem EBITDA ajustada de 12,3%.

O Fluxo de Caixa Livre (FCL) no 2T22 teve um superávit de R$ 486,2 milhões, que representou uma melhora significativa em relação a R$ 215,7 milhões no fluxo de caixa livre no 2T21, suportado pelo desinvestimento das instalações de Évora e pelo IPO da EVE, que compensam as necessidades de capital de giro e a estratégia de gestão de passivos.

A Embraer encerrou o 2T22 com uma posição de dívida líquida de R$ 6,3 bilhões, comparada a R$ 6,9 bilhões no trimestre anterior e dos R$ 9,2 bilhões na comparação com o ano anterior. A diminuição da posição de dívida líquida no trimestre é resultado do uso de caixa e pagamento de todo o saldo de 2022 do bond da Embraer e a recompra de 2025, 2027 e 2028. A posição de liquidez subiu para R$ 10,3 bilhões, de R$ 10,0 bilhões no 1T22, com pagamento de R$ 1.996,3 milhões (US$ 396.8 milhões) de dívida de curto e longo prazo.

Acompanhe mais destaques dos mercados também nosso blog

 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.