ISA CTEEP (TRPL4) vê o lucro em R$74 mi

Receita Operacional líquida atingiu R$ 733 milhões

A ISA CTEEP (TRPL 4) apresentou o consolidado de seus resultados financeiros do segundo trimestre e do primeiro semestre de 2022.

A receita operacional líquida atingiu R$ 733 milhões, um recuo de 7,5% em relação ao mesmo período de 2021. Já no acumulado do semestre, a receita operacional líquida foi de R$ 1,4 bilhão, 12% menor que os primeiros seis meses do ano passado.

O EBITDA do último trimestre totalizou R$ 555 milhões, 12% abaixo do 2T21. O registrado no semestre foi de R$ 1 bilhão, uma redução de 18% se comparado ao exercício anterior.

Já o lucro líquido foi de R$ 74 milhões, queda de 70% em relação ao mesmo período de 2021. O lucro líquido aferido no primeiro semestre foi de R$ 186,6 milhões, apresentando uma queda de 66%.

Esse resultado é explicado, principalmente, pela redução da receita da Rede Básica Sistema Existente (RBSE) nos ciclos tarifários 21/22 e 22/23 em consequência do reperfilamento do componente financeiro, além do aumento das despesas financeiras decorrente das mudanças no cenário macroeconômico.

“Neste trimestre, tivemos importantes marcos para a empresa. O constante aumento nos investimentos em reforços e melhorias garante um fornecimento de energia ainda mais confiável, além de ser uma via estratégica para a companhia. Já o arremate dos Lotes 3 e 6 representa o maior investimento que realizamos em um único leilão desde 2016 e contribui com a geração de valor sustentável da empresa, por meio da expansão da nossa rede em todo território nacional”, diz o diretor-presidente da ISA CTEEP, Rui Chammas.

A atualização positiva do IPCA sobre a RAP do ciclo 21/22, a entrada em operação de projetos de reforços e melhorias e greenfield e o menor valor das parcelas de ajustes, todos itens relacionados à nossa operação recorrente, compensaram parte importante do impacto do reperfilamento da RBSE.

“O resultado financeiro foi impactado pelos indicadores macroeconômicos que indexam a dívida da companhia”, destaca Carisa Cristal, diretora executiva de finanças e relações com investidores da ISA CTEEP.

Entretanto, o ajuste de ciclo da RAP 22/23, vigente a partir de julho de 2023, teve um acréscimo de R$ 664 milhões para fazer frente a essas variações. “Continuamos na busca contínua por eficiência e gestão de gastos, o que permitiu que o nosso PMSO (despesa que responde pelos itens de pessoal, materiais, serviços de terceiros e outros) crescesse em níveis inferiores ao da inflação do período”, completa Cristal.

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.