IPC-S acumula alta de 10,58% no ano

Leitura anterior era de alta em 10,58%

O IPC-S da segunda quadrissemana de junho de 2022 subiu 0,91% e acumula alta de 10,58% nos últimos 12 meses. A leitura anterior era de alta em 10,58%. Os dados são da FGV/Ibre e foram apresentados nesta manhã no Rio de Janeiro.

Nesta apuração, quatro das oito classes de despesa componentes do índice registraram acréscimo em suas taxas de variação. A maior contribuição para o resultado do IPC-S partiu do grupo Habitação cuja taxa de variação passou de -0,15%, na primeira quadrissemana de junho de 2022 para 0,79% na segunda quadrissemana de junho de 2022. Nesta classe de despesa, cabe mencionar o comportamento do item tarifa de eletricidade residencial, cujo preço variou -0,15%, ante -4,99% na edição anterior do IPC-S.

Também registraram acréscimo em suas taxas de variação os grupos: Vestuário (1,62% para 1,94%), Comunicação (-0,31% para -0,23%) e Educação, Leitura e Recreação (3,43% para 3,44%). Nestas classes de despesa, vale destacar o comportamento dos itens: roupas masculinas (2,12% para 2,93%), serviços de streaming (0,46% para 1,09%) e passagem aérea (15,40% para 15,90%).

Em contrapartida, os grupos Transportes (0,62% para 0,30%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,89% para 0,72%), Despesas Diversas (0,77% para 0,61%) e Alimentação (0,73% para 0,70%) apresentaram recuo em suas taxas de variação. Nestas classes de despesa, vale citar os itens: etanol (0,07% para -4,87%), artigos de higiene e cuidado pessoal (1,85% para 0,95%), serviços bancários (1,04% para 0,75%) e hortaliças e legumes (-7,09% para -8,04%).

Gostou deste conteúdo e quer saber mais? É só clicar aqui 

Veja também no nosso blog

você pode gostar também

Comentários estão fechados.