Fed e indicadores derrubam Wall Street

Nasdaq ficou em queda de 4,04% aos 12.317

Os índices de peso na bolsa de Nova York devolveram as altas do dia anterior, com os investidores pinçando ainda o comunicado do Federal Reserve sobre as taxas de juros. Indicadores relevantes dos Estados Unidos também ficaram entre os destaques do dia.

Ao final, o Dow Jones caiu 3,12% aos 32.997. O S&P ficou em queda de 3,56% aos 4.146. O Nasdaq ficou em queda de 4,04% aos 12.317. A queda foi a pior desde junho de 2020.

Os rendimentos do Treasuries de 10 anos subiram 12,2 bps a 3,0370%. Os preços do ouro também avançaram, com a busca dos investidores por proteção.

A decisão do Federal Reserve, que fez o movimento mais agressivo na taxa de fundos federais desde o ano 2000, foi melhor avaliada nesta quinta-feira. O banco central elevou a taxa em 0,50 p.p. e disse que vai começar a rolar os ativos de seu balanço de US$ 9 trilhões a partir de 1º de junho.

Ontem, durante a coletiva de imprensa, o presidente do Fed, Jerome Powell, disse que o banco central não estava discutindo aumentos das taxas em 0,75 p.b no curto prazo. A declaração acabou ajudando a bolsa de Nova York.

Hoje, porém, os rendimentos do Tesouro subiram e as ações globais despencaram, com os mesmos negociadores preocupados também com as políticas agressivas dos demais bancos centrais. Os analistas estão considerando que as taxas de juros elevadas demais para conter a inflação poderão pesar no desempenho econômico global.

Sobre os indicadores, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego subiram em 19 mil na semana fechada em 30 de abril e a produtividade do trabalho, que foi a mais baixa para um trimestre desde 1947, também influenciaram nos desempenhos. Ainda sobre o setor, o Departamento do Trabalho apresenta amanhã os dados oficiais do Governo, o Payroll.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de Trade 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.