FECHAMENTO: Fed e BC esticam taxas: Selic sobe 12,75% 

Mais aumentos estão previstos nas próximas reuniões

As atenções de todos os investidores estavam voltadas para o Federal Reserve, que veio moderado mas sem deixar de ser severo quanto ao futuro da política monetária dos Estados Unidos.

O Fed vai seguir com o aperto para conter a inflação, já que a perseguição dos membros do Comitê de Mercado Aberto, Fomc é para a meta de 2%. O corte no balanço do banco central de US$9 trilhões será iniciado a partir de 1º de junho.

Por aqui, o Comitê de Política Monetária, Copom, Banco Central, elevou a taxa básica de juros, a Selic, em 1% de 11,75% para 12,75%. A autoridade monetária destacou mais altas, porém, não nessa magnitude.

Diante dessas expectativas e medidas, os índices de Wall Street fecharam com ganhos. As bolsas da Europa também recuaram. E, diante do entusiasmo com a declaração do Fed, a bolsa brasileira também reagiu positivamente. Todos os mercados da Ásia estarão operando normalmente a partir de amanhã.

O dólar, no mercado à vista, perdeu a força perto do encerramento dos negócios.

Acompanhe os resumos dos mercados acionários globais

Europa: o DAX-30, bolsa de Frankfurt, caiu 0,49% aos 13.970. O Ibex 35, bolsa de Madri, ficou em queda de 1,04% aos 8.500.

Estados Unidos: o Dow Jones subiu 2,81% aos 34.061. O S&P ficou em alta de 2,99% aos 4.300. O Nasdaq ficou em alta de 3,19% aos 12.964.

Brasil: o Ibovespa ficou em alta de 1,70% aos 108.343 pontos. O volume financeiro ficou em R$32,34 bilhões.

Moedas: o dólar ficou em queda de 1,21% aos R$4,904 para a venda. O turismo caiu 1,06% aos R$5,118 para a venda.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de Trade 

 

 

 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.