Dólar sobe 2,3% na busca por segurança

Na esteira por segurança o preço do ouro também subiu em Nova York

O dólar corrigiu a queda da sessão anterior e fez pressão sobre o real. O investidor voltou para os ativos mais seguros e ainda analisando as decisões dos bancos centrais, em especial do Federal Reserve. O Comitê de Mercado Aberto – Fomc elevou a taxa de juros entre 0,75% a 1% e anunciou que vai reduzir as compras de títulos.

Já o Banco Central do Brasil também endureceu com a alta na Selic em 12,75%. Mesmo com a taxa precificada, o mercado digeriu o comunicado e espera para mais pistas na ata, que será divulgada na terça-feira (10/05).

Hoje, ao final e no interbancário, o dólar ficou em alta de 2,30% aos R$5,016 para a venda. O turismo subiu 1,93% aos R$5,217 para a venda.

“Depois da reação positiva à decisão do Fed ontem, passou a prevalecer a visão de que a postura considerada dovish do Fomc pode ampliar a preocupação com a alta da inflação. DIs curtos subiram desde a abertura depois que o nosso Copom confirmou as expectativas de elevação de 1 p.p. para a Selic e, ao mesmo tempo, deixou a porta aberta para novas altas”, avaliaram os analistas da Terra Investimentos em relatório.

O euro subiu 1,67% aos R$5,291 para a venda. A libra subiu 0,26% aos R$6,202 para a venda. O peso ficou em alta de 2,23% a R$0,043 para a venda.

Cenário Externo

Na bolsa de Nova York, o índice DXY, que compara o movimento das seis moedas mais importantes ante o dólar americano, ficou em  alta de 0,97% aos 103,58 pontos.

O euro ficou em queda de 0,76% a US$ 1.0545 e a libra caiu 2,20% a US$1.2357.

O ouro ficou em alta de 0,55% a US$ 1.879,00 a onça.

O Bitcoin caiu 8,95% a US$36,307,27.

Se você gostou deste conteúdo e quer continuar por dentro do mundo dos investimentos, não se esqueça de clicar aqui

Entre no nosso grupo de Trade 

você pode gostar também

Comentários estão fechados.